A nova versão do Darktable 3.0, vem com uma interface renovada e muito mais

Mesa escura

Após um ano de desenvolvimento ativo o lançamento da nova versão foi anunciado do programa para organizar e processar fotos digitais Mesa escura 3.0. Mesa escura atua como uma alternativa gratuita ao Adobe Lightroom e é especialista em trabalho não destrutivo com imagens brutas.

Mesa escura oferece uma grande seleção de módulos para realizar todos os tipos de operações de processamento de fotos, permite manter um banco de dados de fotos de origem, fornecer navegação visual pelas fotos existentes e, se necessário, realizar operações para corrigir distorções e melhorar a qualidade, mantendo a imagem original e todo o histórico de operações com ela. O código do projeto é distribuído sob a licença GPLv3.

O que há de novo no Darktable 3.0?

Entre as principais novidades desta nova versão, podemos encontrar de imediato que a interface foi totalmente redesenhada e a transição para GTK / CSS.

Todos os elementos da interface agora podem ser controlados usando temas CSS, junto com o qual uma série de tópicos foi preparada otimizado para uso em monitores de baixa e alta resolução.

Além disso Poderemos encontrar as novas versões dos módulos «curva de tons do filme» e «tons do equalizador». Os módulos fornecem meios poderosos de trabalhar com imagens e eles podem substituir completamente os módulos "curva base", "sombra e luz" e "exibição tonal".

Modo adicionado salvar cores no módulo "Curva de base".Este modo é ativado por padrão (no modo "Brilho") e pode alterar significativamente a aparência dos arquivos recém-importados em comparação com os arquivos JPEG criados pela câmera.

Também os novos módulos "Níveis RGB" e "Curva de tons RGB"«, Que suportam trabalhar com canais individuais no espaço RGB, para além dos módulos existentes que funcionam no espaço Lab.

A ferramenta conta-gotas de cor nos módulos Mistura, Curva de tom, Zonas de cor e Brilho, que oferece suporte à seleção do valor médio para a área selecionada (Ctrl + clique no ícone do conta-gotas).

El o histórico de alterações agora mostra módulos de "sistema" anteriormente ocultos. O ícone mostra o status dos módulos no histórico.

Suporte para atribuição de teclas de atalho para controles deslizantes individuais. Por exemplo, controles de compensação de exposição. Isso abre a possibilidade de edição rápida usando controles remotos especializados.

Um diálogo foi adicionado para configurar os metadados exportados, permitindo que você controle a exportação de dados Exif, rótulos, sua hierarquia e dados de geotagging.

Das outras mudanças que podemos encontrar:

  • Suporte para reordenar módulos na ordem em que são aplicados à imagem (Ctrl + Shift + Arrastar).
  • O novo módulo «3D Color Lookup Tables» com suporte para Hald-CLUT e Cube PNG.
  • Suporte para desfazer / refazer operações no modo lighttable para rótulos, rótulos de cores, classificações, metadados, histórico de edição e estilos aplicados.
  • Suporte para máscaras raster (um tipo especial de máscara paramétrica).
  • Imagens de fita e modos de histograma redesenhados.
  • Modificado o módulo de supressão de ruído do perfil. Adicionado suporte para novos perfis de câmera.
  • O novo módulo "Basic Settings", que permite ajustar rapidamente os pontos pretos, brancos e cinzas, alterar a saturação e calcular automaticamente a exposição da imagem.
  • Suporte para busca rápida de módulos por nome.
  • Adicionado um modo de seleção de imagem (comparação de pares).
  • Migrado de threads POSIX para OpenMP.
  • Várias otimizações foram feitas para SSE e OpenCL.
  • Adicionado suporte para mais de 30 novas câmeras.
  • Suporte para a nova API do Google Photo com a capacidade de criar álbuns diretamente da darktable (não está funcionando no momento devido ao bloqueio do Google).

Como instalar o Darktable 3.0 no Linux?

Usuários de Debian, Ubuntu, Linux Mint ou qualquer derivado destes, eles devem digitar em um terminal:

sudo apt-get install darktable

Para quem está usando Fedora ou qualquer distribuição derivada dele, o comando que eles devem usar é:

sudo dnf install darktable

Sim são usuários de qualquer versão do openSUSE Você pode atualizar o aplicativo com a ajuda do YaST ou no terminal, basta digitar:

sudo zypper install darktable

Usuários de Arch Linux, Manjaro, Antergos, Arch Labs e outros derivados do Arch Linux instale o aplicativo com:

sudo pacman -S darktable

Para quem está usando Gentoo ou Funtoo, instale o aplicativo com:

emerge darktable

Finalmente para RHEL, Scientific Linux, CentOS ou usuários derivados eles devem digitar o seguinte:

sudo yum install epel-release
sudo yum install darktable

Finalmente se a atualização ainda não estiver disponível em sua distribuição, você pode compilar o aplicativo da seguinte maneira. Primeiro, obtemos o código-fonte com:

git clone https://github.com/darktable-org/darktable.git

cd darktable
git submodule init
git submodule update

E continuamos a compilar e instalar com:

./build.sh --prefix /opt/darktable --build-type Release


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.