CarbonOS, uma distribuição robusta que aposta em containers e Flatpak 

Vários dias atrás O primeiro lançamento de uma nova distribuição Linux personalizada chamada "carbonos" que se destaca por ser construído usando o modelo de design de sistema atômico, no qual o ambiente base é entregue como um todo único, não dividido em pacotes separados.

Dos recursos que se destacam desta nova distribuição Linux é que os aplicativos adicional eles são instalados no formato Flatpak e executados em containers isolados.

Ao contrário de outras distribuições Atomic, o carbonOS não tenta manter os recursos tradicionais de gerenciamento de pacotes: o carbonOS é o Flatpak primeiro para aplicativos e o contêiner primeiro para todo o resto.

O objetivo final do carbonOS é ser uma distribuição que usa os recursos exclusivos do Linux para fornecer um ambiente seguro, estável e robusto para aplicativos de usuário. Eu quero que seja um sistema operacional de propósito geral no qual o usuário não precise pensar. Os usuários devem poder jogar nele, trabalhar nele, programar nele e fazer o que quiserem sem ter que se preocupar com os detalhes técnicos de seu sistema operacional.

Sobre o CarbonOS

Em CarbonOS ao contrário de muitas das distribuições do Linux popular e especialmente da grande maioria dos atuais, nele o conteúdo do sistema base é montado somente leitura para protegê-lo de modificações em caso de comprometimento (além disso, no futuro eles planejam integrar a capacidade de criptografar dados e verificar a integridade dos arquivos usando assinaturas digitais).

O único caso em que o sistema pode ser gravado é na partição /usr/local. No processo de atualização do sistema, tudo se resume a carregar uma nova imagem do sistema em segundo plano e alternar para ela após a reinicialização. Menciona-se que, ao mesmo tempo, a imagem do sistema antigo é preservada e se desejar ou surgirem problemas, o usuário poderá retornar à versão anterior a qualquer momento.

Durante o desenvolvimento do ambiente da distribuição, a população do ambiente do sistema é montada usando OSTree (a imagem é construída a partir de um repositório do tipo Git) e o sistema de compilação BuildStream, sem usar pacotes de outras distribuições.

Na parte de aplicativos instalados pelo usuário, estes são isolados uns dos outros em recipientes. Além de instalar os pacotes Flatpak, a distribuição também permite usar o kit de herramientas nsbox para criar contêineres arbitrários, que também pode hospedar ambientes de distribuição tradicionais como Arch Linux e Debian.

Ele também oferece suporte para o kit de ferramentas podman, que oferece compatibilidade com contêineres do Docker. Para instalar a distribuição, são oferecidos um instalador gráfico e uma interface para a configuração inicial do sistema.

Btrfs é usado como sistema de arquivos com compactação de dados armazenados habilitada e uso ativo de instantâneos. Systemd-oomd é usado para lidar com situações de pouca memória no sistema e em vez de uma partição swap separada, é usada a tecnologia swap-on-zram, que permite que as páginas de memória armazenadas em formato compactado sejam despejadas. A distribuição implementa um mecanismo de gerenciamento de permissões centralizado baseado no Polkit: sudo não é suportado e a única maneira de executar comandos como root é pkexec.

O projeto desenvolve seu próprio ambiente de usuário GDE (Graphite Desktop Environment), baseado no GNOME 42 e incluindo aplicativos da distribuição GNOME. As mudanças do GNOME incluem uma tela de login redesenhada, um configurador, indicadores de volume e brilho, um painel e o Graphite Shell. Um gerenciador de aplicativos baseado no software GNOME é usado para gerenciar a instalação de atualizações do sistema.

Finalmente para aqueles que interessado em poder testar esta distribuição, você deve saber que o tamanho da imagem de instalação é de 1.7 GB e você pode obtê-lo em seu site oficial no link a seguir.

Quanto aos interessados ​​em conhecer os desenvolvimentos do projeto, devem saber que são distribuídos sob a licença do MIT.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Um comentário deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   txerrenak dito

    Estou confuso com essa distro. Por exemplo, eu queria gerenciar as extensões do gnome (instalei as extensões e o complemento correspondente no Firefox) e todas estão marcadas como NÃO COMPATÍVEIS.

    Não posso ter essas extensões?