O que fazer após instalar o Slackware? Guia rápido e fácil

Olá amigos do FromLinux, depois de muito tempo sem postar nada, aqui estou eu novamente. Hoje vou mostrar como preparar nosso Slackware após instalá-lo.

Por que usar o Slackware?

Bem, todos sabem que fará mais de cinco meses que fiz a mudança de Debian a openSUSE em todas as minhas máquinas, incluindo meus servidores. Agora eu fiz o mesmo que disse a mim mesmo .. Se o openSUSE foi encerrado SUSE e isso veio do Slackware .. Como será o Slackware? E decidi experimentar :).

Foi tão grande o meu prazer que não pude conter a emoção e embora seja preciso brincar com o rolo de Slackpkg, installpkg, sbopkg e o site do Slackbuilds, fica claro que vale a pena já que alcançamos um desempenho que não veremos nem em Debian, Fedora, RHEL, SUSE, arcoEtc ...

A única distro que mostra seu desempenho é o Gentoo e falta tempos de compilação e uma instalação muito longa, enquanto o Slackware é instalado em 20 minutos (dependendo do software que escolhermos): D.

Minha história ... a história de um Debian, o pai do Linux, a quem adorei por anos e de quem passei pelos irmãos RHEL e seus descendentes, e depois por uma filha de um ramo openSUSE completamente independente da mãe SUSE que abriu-me o caminho para um mundo sem precedentes. A mãe das distribuições Linux. Slackware: D.

Uma longa estrada me levou a um mundo chamado Linux de verdade. Um mundo que se parece muito com o Unix. Um mundo no qual os pacotes são compilados. Um mundo no qual os pacotes de lixo não são instalados quando queremos instalar um aplicativo, pois precisamos apenas de suas dependências. Um mundo de estabilidade. Um mundo sem versiontite e distrotite.

Mesmo assim, essa distro é atual, ela é atualizada periodicamente .. Para dar um exemplo: Slackware 14.1 Foi lançado em 7.11.2013. Todos nós sabemos o que aconteceu recentemente com o OpenSSL e todos sabemos que as principais distros corrigiram suas versões do OpenSSL. No caso do Debian ou RHEL, eles corrigiram suas versões 1.0.1e. Slackware 14.1 Ele também saiu com essa versão, mas quando detectou esse bug, ele escolheu colocar a versão 1.0.1g diretamente no branch estável. Esta distro opta por colocar a versão oficial ao invés de fazer patches que podem causar mais bugs separados.

Então mantive o Slackware em todas as minhas máquinas e servidores e pretendo ficar aqui. Durante esses meses, tenho testado essa distro muito, muito profundamente para saber se essa etapa está correta. E a resposta é sim .. Mãe sim . Essa distro me conquistou, me cativou completamente e sem dúvida é o melhor que experimentei. Não tenho outras palavras.

Sem mais delongas, algumas imagens do meu sistema:

Slackware

Slackware

Slackware

Slackware

Slackware

Onde eu faço o download?

Pouco 32
http://mirrors.slackware.com/slackware/slackware-iso/slackware-14.1-iso/slackware-14.1-install-dvd.iso

Pouco 64
http://mirrors.slackware.com/slackware/slackware-iso/slackware64-14.1-iso/slackware64-14.1-install-dvd.iso

Não vou entrar em como fazer a instalação em si, pois é simples. É um instalador em modo texto, mas nos guia passo a passo.

O que fazer após instalar o Slackware?

Adicionar um novo usuário:

adduser

Durante a caixa de diálogo que aparece quando este aparece:

Additional UNIX groups:

pressione a tecla para cima em seus teclados e no final da linha do grupo que é preenchida automaticamente com a dita adição de tecla: roda e pressione entrar.

Habilite o sudo para o nosso usuário:

nano /etc/sudoers

Descomente (#):

%wheel ALL=(ALL) ALL

Salvamos o documento com CTRL + O e fechamos com CTRL + X.

Traduza o sistema para o espanhol:

Liste todos os idiomas disponíveis: localidade -a

nano /etc/profile.d/lang.sh

Exportar substituto LANG = en_US:

export LANG=es_ES.utf8

Salvamos o documento com CTRL + O e fechamos com CTRL + X.

nano /etc/profile.d/lang.csh

Substitua setenv LANG en_US:

setenv LANG es_ES.utf8

Salvamos o documento com CTRL + O e fechamos com CTRL + X.

Configure os repositórios:

nano /etc/slackpkg/mirrors

Descomente os links de Portugal já que a Espanha não tem repos:

ftp://darkstar.ist.utl.pt/pub/slackware/slackware-14.1/ http://darkstar.ist.utl.pt/pub/slackware/slackware-14.1/

Salvamos o documento com CTRL + O e fechamos com CTRL + X.

Sistema de atualização:

slackpkg update slackpkg update gpg slackpkg upgrade-all

Inicie o sistema diretamente no modo gráfico:

nano /etc/inittab

Alterar id: 3: initdefault: para:

id:4:initdefault:

Salvamos o documento com CTRL + O e fechamos com CTRL + X.

Altere a espera lilo de dois minutos para cinco segundos:

nano /etc/lilo.conf

Substitua o tempo limite = 2000 por:

timeout=50

Salvamos o documento com CTRL + O e fechamos com CTRL + X.

/sbin/lilo

Agora instalamos uma ferramenta muito útil, que irá compilar e instalar os programas para nós:

wget http://sbopkg.googlecode.com/files/sbopkg-0.37.0-noarch-1_cng.tgz installpkg sbopkg-0.37.0-noarch-1_cng.tgz

Atualizamos o banco de dados de programas disponíveis no Slackbuilds.org:

sbopkg -r

Como instalar pacotes através do sbopkg…?

Verificamos se o pacote está disponível em http://slackbuilds.org/ e observamos todas as dependências.
Depois é só executar: sbopkg -i "slim" (É um exemplo de instalação do slim). Não se esqueça que antes de colocar o pacote que queremos instalar colocamos todas as suas dependências. Agora instalamos os programas básicos:

Se usarmos notebook:

sbopkg -i "kcm_touchpad"

VLC:

sbopkg -i "orc texi2html libebml libmp4v2 libcuefile libreplaygain lame x264 a52dec faad2 speex twolame lua portaudio libass libavc1394 libdc1394 libdca libdvbpsi libdvdcss libdvdnav libmatroska faa peginger ferramentas libshout vprodc2

Ferramentas de compressão:

sbopkg -i "p7zip rar unrar libtar"

Java:

No caso de usar um sistema de 32 bits:

Baixe o jdk do oracle em sua versão 7u51 (jdk-7u51-linux-i586.tar.gz):

http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/downloads/java-archive-downloads-javase7-521261.html#jdk-7u51-oth-JPRDescargar slackbuild:

Baixamos o slackbuild:
wget http://slackbuilds.org/slackbuilds/14.1/development/jdk.tar.gz

Descompacte jdk.tar.gz

Cole o arquivo jdk-7u51-linux-i586.tar.gz na pasta jdk que descompactamos anteriormente e execute o script:

./jdk.SlackBuild

Isso criará um pacote instalável como este (você sempre verá o caminho e o nome do pacote gerado) e o instalamos com:

installpkg /tmp/jdk-7u51-i586-1_SBo.tgz

No caso de usar um sistema de 64 bits:

Baixe o jdk do oracle em sua versão 7u51 (jdk-7u51-linux-x64.tar.gz):
http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/downloads/java-archive-downloads-javase7-521261.html#jdk-7u51-oth-JPR

Baixamos o slackbuild:
wget http://slackbuilds.org/slackbuilds/14.1/development/jdk.tar.gz

Descompacte jdk.tar.gz

Cole o arquivo jdk-7u51-linux-x64.tar.gz na pasta jdk que descompactamos anteriormente e execute o script:

ARCH=x86_64 ./jdk.SlackBuild

Isso criará um pacote instalável como este (você sempre verá o caminho e o nome do pacote gerado) e o instalamos com:

installpkg /tmp/jdk-7u51-x86_64-1_SBo.tgz

Flash:

sbopkg -i "flashplayer-plugin"

LibreOffice:

sbopkg -i "libreoffice"

Traduzir Libreoffice:

Baixe os slackbuilds para libreoffice-helppack e libreoffice-langpack:

wget http://slackbuilds.org/slackbuilds/14.1/office/libreoffice-helppack.tar.gz wget http://slackbuilds.org/slackbuilds/14.1/office/libreoffice-langpack.tar.gz

Nós descompactamos os arquivos baixados.

Baixamos os pacotes libreoffice:

Bit 32:

wget http://download.documentfoundation.org/libreoffice/stable/4.2.3/rpm/x86/LibreOffice_4.2.3_Linux_x86_rpm_helppack_es.tar.gz
wget http://download.documentfoundation.org/libreoffice/stable/4.2.3/rpm/x86/LibreOffice_4.2.3_Linux_x86_rpm_langpack_es.tar.gz
Colamos esses arquivos sem descompactá-los nas pastas correspondentes do slackbuid e executamos o script em:
./libreoffice-helppack.SlackBuild ./libreoffice-langpack.SlackBuild

E instalamos os pacotes gerados (você sempre vê o caminho e o nome do pacote gerado):

installpkg /tmp/libreoffice-helppack-4.2.3_es-i586-1_SBo.tgz
installpkg /tmp/libreoffice-langpack-4.2.3_es-i586-1_SBo.tgz

Bit 64:

wget http://download.documentfoundation.org/libreoffice/stable/4.2.3/rpm/x86_64/LibreOffice_4.2.3_Linux_x86-64_rpm_helppack_es.tar.gz
wget http://download.documentfoundation.org/libreoffice/stable/4.2.3/rpm/x86_64/LibreOffice_4.2.3_Linux_x86-64_rpm_langpack_es.tar.gz

Colamos esses arquivos sem descompactá-los nas pastas correspondentes do slackbuid e executamos o script em:

ARCH = x86_64 ./libreoffice-helppack.SlackBuild ARCH = x86_64 ./libreoffice-langpack.SlackBuild

E instalamos os pacotes gerados (você sempre vê o caminho e o nome do pacote gerado):

installpkg /tmp/libreoffice-helppack-4.2.3_es-x86-64-1_SBo.tgz
installpkg /tmp/libreoffice-langpack-4.2.3_es-x86-64-1_SBo.tgz

Filezilla:

sbopkg -i "wxPython filezilla"

Skype:

sbopkg -i "skype"

Visualizador de equipe:

wget http://download.teamviewer.com/download/teamviewer_linux.tar.gz

Descompacte-o e sem instalá-lo, podemos usá-lo executando o pacote teamviewer nesta pasta.

Firewall:

sbopkg -i "ufw"

Adicionamos o pacote à lista inicial:

nano /etc/rc.d/rc.local

Escrevemos isso no final:

if [-x /etc/init.d/ufw]; então /etc/init.d/ufw start fi

Salvamos o documento com CTRL + O e fechamos com CTRL + X.

Nós ativamos o firewall:

ufw enable

Permitimos ssh se o usarmos:

ufw allow ssh

Novo menu de inicialização do KDE se você estiver interessado (como na imagem):

sbopkg -i "homerun"

E voila .. Com isso eles obtêm um sistema preparado para uso geral: D. E você vê que não é tão difícil quanto pode parecer. Saudações linuxeros e não se esqueçam de comentar :).


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

96 comentários, deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   CARLOZ dito

    E (linux vetorial) é como a delicadeza do Slackware

    1.    Petercheco dito

      Sim mas não é o mesmo 😀

    2.    DMoZ dito

      Acabei de dizer olá =) ...

      https://blog.desdelinux.net/author/dmoz/

  2.   Didaz dito

    O Slackware não terá pai, mas posso imaginar em alguns meses que você experimentou um "linux do zero", e que trocou todas as suas máquinas e servidores ... com o guia correspondente 😉

    1.    Petercheco dito

      Não consigo me imaginar fazendo uma coisa tão maluca: D. Eu estava pensando sobre isso entre o Slackware e o Gentoo. Eu fui de pai Debian para mãe de Slackware e aqui eu definitivamente fico: D.
      Dê uma olhada no tempo de suporte que as versões do Slackware têm:

      pt.wikipedia.org/wiki/Slackware

      Acho que é ideal para uso em produção.

      1.    dbillyx dito

        Debian, meu respeitável e honrado sistema operacional, que duvido que um dia seja removido do meu computador ... A ideia de instalar o slackware também passou pela minha cabeça há muito tempo, mas quando tentei foi na mesma hora não entendi algumas coisas e o caminho ficou difícil para mim então aborte a operação ... Como você disse, o Gentoo leva um ("pouco") mas será mais tarde ...

        Enfim, os comentários sobre o slackware são excelentes, espero continuar lendo mais sobre ele e processos difíceis com soluções que surjam ao longo do caminho ...

        Viva a liberdade…!!!

  3.   Otaku Logan dito

    Slackware é uma distribuição que pensei várias vezes em instalar, mas li comentários de que é a mais estável (mas é mesmo). Certamente eu ficaria surpreso se ele tivesse menos bugs do que o CentOS, o que me deu 0 problemas no tempo que tentei.

    Porém, eu sempre volto para a mesma coisa: pacotes externos. O fato de lançamentos do Debian estáveis ​​com pacotes desatualizados não é um capricho, é porque a liberdade do GNU / Linux junto com as bibliotecas universais faz com que possam surgir conflitos entre programas, e testes e tempo são necessários para detectá-los. Slackware com certeza funciona muito bem com seu pacote oficial, mas Slackbuilds não é oficial, eles são pacotes que provavelmente não foram testados completamente uns com os outros e que quando chegar a hora eles podem travar. Se mesmo no Debian já aconteceu comigo com vários pacotes, não tenho confiança de que o Slackbuilds não fará isso. Por outro lado, com o pacote externo também há o problema de segurança: se for detectado um erro, eles vão atualizá-lo? Provavelmente sim, mas sempre há programas que são abandonados (ou abandonam os uploaders), aí não é tão bom. É uma coisa que sofri no CentOS: sem problemas depois de uma semana de uso (a ÚNICA distro em que algo assim aconteceu comigo e eu falo, com todas as outras algo sempre apareceu), mas aí está na hora para puxar repositórios externos para onde você O sistema central é muito forte, mas os aplicativos que você vai usar ninguém lhe garante nada. O Slackware por exemplo não tem nada para virtualizar (LXC no máximo), você teria que ir ao Slackbuilds para obtê-lo.

    Você realmente merece deixar o Debian para trás e fazer a mudança com tanto sacrifício, petercheco?

    1.    Petercheco dito

      Olá OtakuLogan e obrigado por um comentário produtivo: D. Eu concordo que a estabilidade do Debian ou RHEL / CentOS está em um nível muito alto. Analisei as duas distros que você mencionou e posso dizer que sempre que você usar o repo oficial, você tem certeza de que 99% nada vai acontecer com você. Claro, se você colocar os repos rpmfusion, adobe e epel em seu CentOS, as coisas mudam muito. Não apenas por causa dos pacotes que você vai instalar a partir desses repositórios, mas também por causa dos pacotes de lixo que eles instalam e das lacunas que eles podem conter.
      Com o slackbuilds a questão é um pouco diferente, já que você sabe quais pacotes e dependências irá instalar e que nunca instalará um pacote que não seja necessário para executar qualquer função do software que deseja instalar com o slackbuilds. Também tenha em mente que o slackbuilds trabalha com o código-fonte e compila o pacote em seu sistema. Você também deve ter em mente que apenas versões estáveis ​​de pacotes e pacotes testados são publicados no slackbuilds. Exemplo: VLC na página oficial está disponível na versão 2.1.3, enquanto no slackbuilds sua versão é 2.1.1. Quanto à instabilidade do sistema .. Se você levar em consideração que os pacotes são compilados para o seu computador, isso reduz a 0 a instabilidade do seu pc já que em qualquer caso a instabilidade só afetaria o próprio programa. Recomendo que você dê um gostinho no Virtualbox e você verá quais são as vantagens dessa distro.
      Também digo que eu mesmo tinha a mesma opinião que você antes de experimentar o Slackware para mim: D.
      Saudações do Linux e espero ter respondido suas perguntas 🙂

      1.    kik1n dito

        Vamos, isso me fez querer voltar ao slackware.

        Gostaria que o slackware instalasse dependências e rodasse, mas nem tudo pode ser haha. Mas eu prefiro slackware ao debian ou gentoo.

        1.    Petercheco dito

          Bem, para retornar, já foi dito .. Slackware tem o branch atual e você já o tem rodando 🙂

        2.    joakoej dito

          Para isso existe o Arch, ele é rolante e com ABS e PKGbuilds você pode fazer exatamente o mesmo que com Slackbuilds e se quiser com o comando "makepkg -s" eu também resolverei automaticamente as dependências.
          Pelo que vejo, eu fico com o Arch Linux, a menos que você possa me dizer alguma vantagem que o Slackware tem em relação ao Arch, porque até agora eu não vi

          1.    Didaz dito

            todos têm sua graça…. quando você se cansa de um, então você muda para o outro e assim por diante haha

          2.    Didaz dito

            Você usa o windows 7 e não está rolando haha

      2.    Otaku Logan dito

        Sua resposta é muito interessante, petercheco. Eu levo isso em consideração, pelo menos vou seguir seu guia para testá-lo virtualizado. Obrigado!

        1.    Petercheco dito

          De nada

  4.   Ianpocks dito

    Muito bom guia, teremos que tentar. Pelo que você disse, imagino que antes de instalar um pacote você tenha que olhar as dependências, então ao instalar os pacotes você terá que instalar as dependências. Vou ter que olhar de perto. Parece-me mais estilo Bsd do que linux ... Obrigado 🙂

    1.    Petercheco dito

      Em efeito. Você deve instalar todas as dependências antes do programa em si. A vantagem é com o sbopkg, já que você instala tudo em um. Exemplo: Veja o comando para instalar o VLC. Tudo antes de vlc (no mesmo comando) são dependências do VLC ou de programas que o VLC precisa. Em outras palavras, você informa ao sbopkg em um comando todas as dependências e o programa final no final e ele se encarrega de baixar, compilar e instalar cada pacote por si mesmo. Vai pacote por pacote até que tudo esteja feito. E se o Slackware for muito próximo do Unix 😀

  5.   amuleto_linux dito

    Você está de parabéns porque usa o Slackware e porque quase não há posts dele. Embora eu ache que você exagerou no desempenho. Em teoria, deve haver mais, mas não é algo tão notável. E digo que usei Arch e Slackware ao mesmo tempo. Onde é notável é no Gentoo, especialmente o KDE me surpreende.
    Apesar de entender, também tive aquela sensação de mais otimização e é muito bom. Mas não combina com o meu estilo do Slackware, fiquei entediado e esqueci, ao invés disso, gosto mais de como tudo é feito no Gentoo.

    O Gentoo é mais fácil de usar, pode requerer um pouco mais de análise no uso, mas é o mínimo. Se não considerarmos a instalação.

    1.    Petercheco dito

      Muito obrigado: D. Eu também te parabenizo por usar o Gentoo e concordo com você que é muito fácil de manter uma vez instalado graças ao portage: D. Gentoo me atrai em particular, mas a instalação do Gentoo é lenta e eu não digo nada para compilar todo o KDE, você tem que ser muito paciente: D. Quanto ao desempenho, não posso opinar já que fiz uma seleção manual dos pacotes durante a instalação, por isso só tenho as aplicações que tinha interesse em ter e como ambiente instalei apenas o KDE. A sensação que tenho no meu laptop com um núcleo e um gig de ram é que o Slackware com KDE roda muito, muito rápido e as diferenças desta distro com o Debian, Arch, openSUSE são no meu caso muito notáveis: D. Acho que depende do hardware que se tem que perceber mais ou menos as diferenças de cada distro.
      Saudações 😀

      1.    amuleto_linux dito

        Obrigado também. Agora que pensei sobre isso, a instalação mínima do KDE no Debian ou Arch força você a instalar pacotes obrigatórios. Por outro lado, no Slackware você pode ignorar muitos porque não os requer. Semelhante ao Gentoo, tem 3 instalações diferentes do KDE, a completa, a básica e uma superleve sem add-ons desnecessários. Dos quais escolhi o último. É excelente.
        lembranças

        1.    Petercheco dito

          De fato 😀

        2.    eliotime3000 dito

          No meu PC que tem Debian Wheezy com 1GB de RAM e Pentium D de 2.8 Ghz, primeiro instalei o pacote KDE-Meta escolhendo o mais básico para funcionar; Então, comecei a travar o GNOME 3.4 propriamente dito enquanto estava na área de trabalho do KDE e realmente me sinto confortável com meu KDE no PC de mesa.

          Com o Slackware, testei seu desempenho em máquina virtual e o KDE, com todos os seus componentes, funciona literalmente como seda. É uma maravilha de uma distribuição GNU / Linux e é algo que não me arrependo de tentar.

          Além disso, o Slackpkg lhe dá a liberdade de escolher quais dependências você deseja instalar em um pacote binário (que o APT e o Pacman nunca veem).

    2.    Dayara dito

      Bem, o desempenho é notável e muito. Tudo é muito fluido. Para dar um exemplo, meu desktop Slackware 64bits com XFCE mostra um consumo de 245 MB de RAM após a inicialização. Em OpenSuse ou Fedora com o mesmo desktop o consumo de cerca de 354mb (tendo removido alguns processos desde o início).

      Por outro lado, eu não recomendaria a ninguém que usasse os repositórios atuais, porque é bastante comum que depois de uma atualização algo não funcione para você ou o sistema simplesmente não inicie. Da última vez que aconteceu comigo, GDM parou de funcionar (tive que usar Ctrl + high + F1 para iniciarx e mudar para Slim), Gedit, Viewnior e vários outros programas.

      Saudações.

  6.   Senhor barco dito

    Bom petercheco, antes de mais obrigado pelo guia.

    Lendo tudo passo a passo, encontrei significado em todas as etapas, exceto uma:
    wget http://sbopkg.googlecode.com/files/sbopkg-0.37.0-noarch-1_cng.tgz
    installpkg sbopkg-0.37.0-noarch-1_cng.tgz

    Por que fazer isso, dependendo de googlecode.com, quando podemos instalar o dbopkg 0.37 a partir dos repositórios oficiais de acordo com o site do projeto?
    installpkg sbopkg-version-noarch-1_cng.tgz

    Fazendo isso de outra forma, não corremos o risco de ficar um pouco desatualizados para o futuro?

    Uma saudação.

    1.    Petercheco dito

      Olá, é interessante o que você colocou, mas na página oficial do Slackware vem o seguinte:
      http://docs.slackware.com/howtos:slackware_admin:building_packages_with_sbopkg

      Nos repositórios oficiais da distro não é diretamente :).

      1.    Senhor barco dito

        Que coisa curiosa, como é possível que eles não tenham corrigido um erro tão grande em http://www.sbopkg.org/downloads.php?

        Obrigado pela resposta rápida.

        Eu tinha outra coisa para te dizer, embora eu já saiba a resposta para isso. Um dos motivos que me fez deixar o Arch foi o fato de ele nada mais fazer do que encontrar problemas de segurança em todos os lugares, e eu não gostava de ter que me tornar um especialista em segurança de computadores para poder configurar certos parâmetros que em outras distribuições já vinham para mim por padrão.
        O mesmo acontece com o Slackware, eu acho, não há medidas de segurança a partir do minuto 1, certo?
        Você mesmo deve configurá-los.

        1.    eliotime3000 dito

          Não acho que você deva rejeitar uma intervenção como no Arch, já que, no mesmo instalador do Slackware, ele dá a você a facilidade de instalar o SELinux automaticamente e mesmo assim, não consome recursos.

          Em relação ao Arch, o que me assustou foi a rapidez com que atualizaram as versões de seus componentes mais sensíveis, a tal ponto que me fizeram retornar às Três Marias de estabilidade no GNU / Linux (Debian, Slackware e RHEL / CentOS).

        2.    Petercheco dito

          Bem Eliotime3000 já te respondeu, mas como você pode ver no meu post eu também instalo um assistente para configuração mais: ufw. Isso permite que você adicione parâmetros ao firewall (netfiter ou iptables ... como você quiser chamá-lo) de uma forma muito rápida e fácil: D.

          Além disso, para obter ainda mais segurança, você pode, por exemplo, instalar fail2ban para proteger seu PC de tentativas de ssh ou outros serviços: D.

  7.   Coração de Guerra dito

    Há muito tempo eu queria colocar minhas mãos nessa distro, mas acho que instalar manualmente as dependências pode se tornar um verdadeiro aborrecimento, de qualquer forma obrigado pelo tutorial, talvez um dia eu me anime.

    1.    Petercheco dito

      De nada. Veja que passo de sistemas automatizados para ter mais controle sobre o sistema e dependências 😀

  8.   eliotime3000 dito

    Minha distro KISS favorita ... Na verdade, é a melhor distro KISS que eu tentei até agora, pois tem a vantagem de usar ambos os binários (como Debian e outros usando slapt-get ou slackpkg para instalar a partir de backports) ou compilações como Gentoo (sbopkg).

    De qualquer forma, distros como o Slackware não existem, e os backports oficiais (como o Slacky.eu) estão mais atentos aos bugs e atualizam para a versão mais estável e editam o código fonte.

    PS: Dá vontade de baixar o código fonte do Iceweasel e instalá-lo com sbopkg.

    1.    Petercheco dito

      Na verdade: D. A propósito .. Qual distro você usa agora? Eu sei que você gostava de Slackware, Debian e Arch, mas ninguém sabe qual é o seu escolhido 😀

      1.    eliotime3000 dito

        Para falar a verdade, minha distro preferida é o Debian, já que me oferece uma instalação rápida e fácil de usar e adaptar (se alguém odeia o terminal, eu instalo o software center se for um desktop GTK ou Apper se for KDE).

        Do lado do Slackware, deixo para PCs que não suportam kernels com PAE como meu antigo Pentium IV ou PCs que mal rodam com Windows XP.

        De qualquer forma, espero que meu irmão consiga migrar todos os seus arquivos de seu PC para instalar o Slackware 14.1 e, assim, que continue gostando do XP com o VirtualBox (gostou assim que instalei em seu notebook com Windows 7, pois ele depende de aplicativos proprietários para programar PICs e PLCs).

    2.    patodx dito

      eliotime…. perdoe minha ignorância .. mas no descanso .. posso instalar um pacote .deb… ??????
      é por causa dos drivers da minha impressora ..

      petercheco .. um ótimo guia para imprimir .. e você me fez querer experimentar o slack… muito grato ..

      Felicidades..

      1.    eliotime3000 dito

        Se você usa o conversor de pacotes Alien, sim; mas se você quiser usar o slackpkg para instalar pacotes .deb, não.

      2.    Petercheco dito

        De nada, @patodx 😀

  9.   Pandev92 dito

    Um pouco rudimentar ahahaah

    1.    Petercheco dito

      De? Eu diria extenso, mas rápido, incluindo o software que mais usamos 😀

    2.    eliotime3000 dito

      Meh, pelo menos ele não coloca outros pacotes que você não quer.

      1.    Petercheco dito

        Certamente .. Depois que cada um escolher os pacotes que deseja instalar .. Basta procurá-los no slackbuilds.org e instalá-los com o comando sbopkg -i "nome_do_pacote" (se não tiver dependências) ou sbopkg -i "nome_de_dependência nome_do_pacote "(para instalar a dependência + o próprio pacote) 😀

  10.   R0uzic dito

    Eu experimentei o Slackware há muitos meses quando a versão 14.0 foi lançada, sua instalação era diferente das outras distribuições, mas não tão difícil quanto algumas pessoas pintam e me deu uma sensação de segurança (no nível dos pacotes oficiais) que poucas distribuições deram mim; mas considero um erro e uma perda de tempo não poder instalar um sistema com o mais básico por padrão ou ter um kernel mais otimizado e assim reduzir o tempo de carregamento. Sim, muitos de vocês vão me dizer que posso fazer manualmente na instalação, mas é justamente o que critico: decidir com mais de 100 pacotes se vou instalar ou não.

    1.    eliotime3000 dito

      Normalmente, o instalador do Slackware mostrará uma lista de qual grupo de pacotes você deseja instalar (do mais básico ao mais fofo, como os pacotes de jogos do KDE), mas para falar a verdade, a inicialização do kernel fica por conta do sistema .inicial que é bastante semelhante ao UNIX / BSD (na verdade, o OpenBSD leva uma eternidade para os archers).

      1.    Petercheco dito

        Não posso concordar mais .. Você pode instalar os grupos de software A, AP, D, F, K, L, N, X e você já tem um sistema básico para o qual após reiniciar você instala o que quiser: D.
        Um pouco mais sobre isso: http://www.slackwiki.com/Minimal_System

  11.   babel dito

    O guia é bom, embora vendo como funciona a folga eu acho que sou mais um usuário do Arch. Outra coisa que me impressiona é que você tem muitos erros de ortografia (especialmente no passado verbos simples sem acento). Acho que é algo que sempre é dado como certo, mas qualquer página de qualidade teria que ver esses erros. Esperançosamente, do Linux eles se esforçaram mais nisso.

    1.    eliotime3000 dito

      @Petercheco é da República Tcheca, então você não pode culpá-lo por ter uma grafia ruim como essa (na verdade, às vezes ter que escrever em dois ou mais idiomas é frustrante).

      Enfim, como o artigo é muito mais completo que o meu, merece crédito extra.

      1.    Carlos dito

        Eu sou um usuário Debian, mas tentei virtualizar quase todas as distribuições, pelo menos todas as originais das quais o resto é derivado. Dentre eles o Slackware é o que mais gosto, o funcionamento dos slackbuilds no início pode ser complicado, mas não é mais complicado do que o uso do AUR no ArchLinux.
        Slackware como o Debian são principalmente orientados para a estabilidade, independentemente de ser ou não a versão mais recente, se não livre de bugs, portanto, é quase a única distribuição que ainda usa o Lilo em vez do grub como carregador de boot.
        Parece-me uma distribuição muito boa, se eu 'saísse' do Debian, cairia nas redes Slackware, porque o Gentoo é muito mais complicado de usar

    2.    Petercheco dito

      Sim, é verdade que terei alguns outros erros ortográficos, mas é o que acontece quando se escreve um artigo às 12hXNUMX na República Tcheca: D. Além disso, deve-se levar em conta que os próprios falantes de espanhol cometem erros ortográficos para aborrecer: D.

    3.    patodx dito

      Concordo. Oi en dya, o povo não escreve vien, zon hunos verdaderos hanimales do lenhua casteyana.

      Acho que Petercheco deve escrever em tcheco a partir de agora, para entendermos melhor o que nosso amigo quer dizer nos tutoriais, já que o espanhol não é sua língua nativa.

      Felicidades..

      1.    Petercheco dito

        Seu comentário deixou minha tarde de trabalho feliz: D. Obrigado :). Falo sério quando digo que ri por dez minutos minutos

  12.   Petercheco dito

    MAIS UMA COISA ..

    Hos que eu recomendo na parte da configuração do repositório para descomentar os repos de:

    ftp://mirrors.slackware.com:/slackware/slackware-14.1/
    http://mirrors.slackware.com/slackware/slackware-14.1/

    Eles aparecem primeiro no documento: D. É no caso de o repositório de seus respectivos países falhar.

    1.    Petercheco dito

      Desculpe "Eu recomendo você"

  13.   pablo dito

    Concordo totalmente com este artigo do Slackware, mas, tive problemas ao configurar minha rede Lan, não encontrei em lugar nenhum, soluções para meu problema de rede, portanto, voltei ao opensuse, o que facilita e muito a configuração de uma Lan. Parabenizo quem quer e tem tempo para aprender, mas como um usuário em busca de soluções rápidas, não encontrei o Slackware.

    1.    Petercheco dito

      Oi Paul,
      Durante o processo de instalação, o instalador pergunta se você deseja configurar a rede. Você diz sim e, em seguida, seleciona a opção Gerenciador de rede. Cuidado, existem quatro opções e uma delas é o DHCP. Não selecione DHCP se não for o Network Manager. Corrigido o problema, já que suas conexões de rede serão gerenciadas pelo Network Manager 😀

      1.    Petercheco dito

        Mais informações que podem interessar a você:
        http://docs.slackware.com/slackware:beginners_guide

  14.   santilina dito

    Eu instalei o slackware em um Nec Versa M320 e segui suas instruções, especialmente o sbopkg -i "kcm_touchpad" mas meu touchpad não funciona.

    Eu olhei em volta, mas não encontrei nenhuma solução para a folga 14.1.

    Tenho que editar o arquivo de configuração x11 manualmente?

    1.    Petercheco dito

      Olá, ao instalar o referido pacote, você encontrará as opções para configurar seu touchpad nas preferências do sistema KDE -> dispositivos de entrada -> touchpad.
      Aqui você o ajusta às suas necessidades: D.

      Se em vez de usar o KDE você usar o XFCE, vá ao centro do xfce -> mouse e touchpad e faça as configurações desejadas :).

      1.    santilina dito

        O sistema não está detectando meu touchpad. Quando eu entro na configuração do touchpad no kde, nas informações ele me diz o nome do touchpad: Dispositivo não encontrado

        🙁

        1.    Petercheco dito

          Muito curioso o seu caso .. O touchpad não funciona inteiramente ou funciona pela metade? Como você instalou o sistema?

          1.    santilina dito

            Nada funciona. A instalação foi feita seguindo este tutorial.

            Você sabe o que fazer para verificar se o kernel carrega o touchpad?

        2.    Petercheco dito

          Mas eu não falei sobre a instalação .. Meu post é sobre a pós-instalação: D.
          Seu touchpad provavelmente não é compatível, mas esta é a primeira vez que o vejo :). Se você instalou o grupo de pacotes X durante a instalação, seu touchpad deve funcionar bem.

          1.    Petercheco dito

            Na instalação do Slacware surge um momento em que ele pergunta qual mouse você deseja usar. Você deve escolher o Vídně padrão: imps2mouse.

            Se você quiser fazer uma configuração manual, deve editar ou criar o arquivo /usr/lib/X11/xorg.conf.d/10-synaptics.conf

            lembranças

  15.   arenito dito

    Excelente contribuição, há anos não usava o slackware, com essa distribuição que comecei no GNU / Linux com a versão 10, tive que sair dela há muito tempo porque antes precisava instalar tudo manualmente e tinha que procurar cada uma das dependências, mas hey, vou tentar de novo, obrigado pelo guia

    1.    Petercheco dito

      De nada

  16.   Percaff_TI99 dito

    Postagem muito boa; quanto maior e melhor, você sempre pode aprender configurações que podem não estar em outros tutoriais e vice-versa.
    Algo que se destaca no Slackware é a integração com o KDE e a fluidez com que os aplicativos rodam, e sim, também percebi que é um pouco mais ágil que o Archlinux.

    Saudações.

    1.    Petercheco dito

      Muito obrigado 😀

  17.   SynFlag dito

    Quanto ao desempenho, posso colocar você em dúvida, e o Gentoo?
    Vou te dar um vs do meu CentOS com kernel customizado vs Slackware com kernel padrão ... vamos ver ram, velocidade e estabilidade contra o estresse da CPU quem obtém mais vantagens

    1.    Petercheco dito

      Bem, instale duas máquinas virtuais. Uma com um CentOS mínimo com seu kernel personalizado e a outra com um Slackware mínimo (instale os grupos de software para ter uma instalação mínima de Slackware: http://www.slackwiki.com/Minimal_System) e publicar seus resultados 😀

  18.   Essau dito

    excelente artigo, parabéns, já queria testar esta distro, e vocês conseguiram me fazer baixar imediatamente o ISO.
    Só uma pequena pergunta, vou instalá-lo na minha máquina de teste, onde tenho várias outras distros instaladas, Debian Jessie, Arch, Ubuntu 14.04, OpenSuse, KaOs, Trsiquel e todos eles inicializam a partir do GRUB2. Vejo que em seu artigo você fala sobre Lilo (quantos anos tem isso?).
    A questão é: posso escolher instalar o GRUB2 em vez do lilo e fazer com que ele reconheça as outras distros que você já instalou?

    1.    Petercheco dito

      Olá Essaú e obrigado pelo seu comentário: D. Durante a instalação, o sistema instala automaticamente o Lilo.
      Você pode instalar o grub (grub2) que vem no DVD do Slackware com as seguintes etapas:

      Quando você terminar de instalar o Slackware, esta mensagem aparecerá: "Installation of Slackware Linux is complete."

      Corre:
      chroot / mnt

      grub-install / dev / sda
      grub-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg

      E voila: D .. Mais informações sobre isso:
      http://docs.slackware.com/howtos:slackware_admin:grub_on_first_install

    2.    Petercheco dito

      Mais uma coisa ..
      Lilo não é um projeto abandonado, a última versão estável foi lançada há menos de um ano (7 de junho de 2013) e hoje o Slackware tem suporte UEFI com Lilo.

      Mais informações: http://en.wikipedia.org/wiki/LILO_%28boot_loader%29

  19.   Garbage_Killer dito

    excelente guia Peter.

    por outro lado, meses depois ele lamenta a folga e retorna ao rhel, embora neste caso centos, mas em 7 😛

    1.    Petercheco dito

      Obrigado: D. Bom hoigo sussurra no vento que eles falam, que eu fico com o Slackware, pois estou gostando muito e tendo tudo em minhas mãos :) Além disso, o desempenho é brutal e eu esqueço os repositórios mais a configuração de prioridades, pacotes deb ou rpm e suas dependências: D. Com o Slackware mãe me sinto livre e cada vez mais me identifico com o pensamento de Patrick Volkerding sobre o Linux hoje.

      É ideal e o suporte que possui é incomparável:
      http://en.wikipedia.org/wiki/Slackware#Releases

  20.   Chicxulub Kukulkan dito

    Uma pergunta: posso ter dois ou mais desktops instalados? Por exemplo, comece hoje com o KDE, amanhã com o XFCE e na próxima semana com o Cinnamon.

    1.    Petercheco dito

      Olá, claro que você pode ter vários scripts .. Claro, o Cinnamon terá que compilar: D.
      Mais informações aqui: http://slackblogs.blogspot.cz/2014/04/cinnamon-slackbuilds-csb-for-slackware.html

  21.   vidagnu dito

    Excelente tutorial, uso o Slackware desde 1998 e nunca tive problemas com servidores, não instalo pacotes do slackbuilds neles, pois os pacotes que estão nos repositórios oficiais são suficientes. Na minha casa eu também uso e neste caso se eu uso slackbuilds para pacotes como vlc, embora eu também faça uso constante de ./configure && make & make install entre outros.

    Parabéns novamente por este tutorial e pela escolha que você fez!
    Oscar

    1.    Petercheco dito

      Muito obrigado Oscar, também estou feliz por ter decidido usar o Slackware. 🙂

    2.    kik1n dito

      Uau, você deve ser um hacker e tanto :).
      Quando você atualiza do slackware para outra versão, você reinstala ou atualiza?

      1.    Petercheco dito

        Bem, você pode atualizar sem problemas com:

        1 ° Adicione os repositórios da nova versão em / etc / slackpkg / mirrors

        2ª atualização com:

        atualizações de verificação do slackpkg
        slackpkg atualizar-tudo
        Escolha a letra K para manter a configuração mas olhando para a nova configuração dos pacotes

        3o slackpkg install-new

        Claro, eu prefiro fazer uma instalação limpa, pois o Slackware funciona muito bem e não é necessário atualizar a cada dois em três de uma versão para outra 😀

  22.   Amilkar dito

    Slackware, ótimo, estou aprendendo muito!
    Consulta, ao modificar /etc/profile.d/lang.sh eu coloco:
    export LANG = es_XX.utf8
    export LANGUAGE = es_XX.utf8
    export LINGUAS = es_XX.utf8
    export LC_ALL = es_XX.utf8
    XX: país correspondente
    Funcionou bem
    O teclado é o problema, não é preciso teclado latino-americano nem espanhol (vejam que não consigo escrever), escolhi olpc / es-olpc | olpc / es-olpc.map que na hora da instalação respondeu, então não. Isso pode ser corrigido no slackbuilds? O que eu preciso definir na instalação? O que devo modificar? Saudações.

    1.    Petercheco dito

      Tente abrir o terminal sem ser root (ou seja, com seu nome de usuário) e escreva:
      setxkbmap é

      Mais informações: http://docs.slackware.com/howtos:window_managers:keyboard_layout

      Em geral, o teclado pode ser configurado diretamente no ambiente de trabalho que você usa.
      Você disse que configurou /etc/profile.d/lang.sh, mas configurou /etc/profile.d/lang.csh também?

      Ejemplos:
      nano /etc/profile.d/lang.sh
      export LANG = es_ES.utf8

      nano /etc/profile.d/lang.csh
      setenv LANG en_ES.utf8

      Uma saudação

  23.   Chamaeleonidae dito

    Muito útil: 3

  24.   Anim4 dito

    Parabéns por esta contribuição para a comunidade de slacker da Petercheco.
    Eu sou um usuário de slackware desde o slackware 13 e a verdade é que é a melhor coisa que tenho no meu disco rígido, já tentei outros, mas sempre voltei ao slackware (Gentoo, sinto vontade) e agora a única coisa Eu acho que é estável ou atual?

    A única coisa que vejo faltando é uma comunidade de língua espanhola no irc, por exemplo, ou um bom fórum ativo com muita participação. Para resolver as dúvidas de todos, todos nós temos que aprender e não há problema em errar 100 vezes, então as pessoas perderão o medo desta maravilhosa distribuição Gnu / linux.

    Isso me ocorre quando vejo que as pessoas aproveitam para parabenizar o autor e este post e pelo jeito que tiram qualquer dúvida, seria bom ter um lugar para que todos possamos compartilhar nossas experiências e aprender mais e não ter que jogue tanto de (questões de Linux).

    Bem acima alguém perguntou por que o sbopkg ou o slackpkg não foram adicionados, a resposta é simples, eles são pacotes opcionais, portanto, quebra a filosofia do KISS pelo mesmo motivo que o slackware64 não tem compatibilidade com 32bits, está "pronto" mas devemos adicione uma camada de software para executar / compilar software de 32 bits.

    E outro usuário perguntou como mudar de kde para um ambiente diferente, porque como Petercheco disse ele compila e então você executa em um terminal: $ xwmconfig
    E aparece um menu onde você pode escolher o que deseja (instalado anteriormente). Então desligamos o X, $ startx em seguida e é isso.

    Saudações!

    1.    Petercheco dito

      Muito obrigado por dar sua resposta e pela avaliação de minha postagem e eu concordo, mais sites de língua espanhola sobre Slackware são necessários: D.

  25.   Anim4 dito

    De nada Petercheco, se é triste ver que não há ninguém em # slackware-es de freenode, você poderia criar um canal diferente, como Slackeros ou Slackos ou qualquer outro nome, o difícil sobre esses canais de irc é manter eles ativos e com muitos usuários ....

    Acima eu coloquei * Slackpkg e significa slapt-get 🙂, já que o slackpkg está incluído.

    Saudações e para continuar dando cana ao slackware por muitos mais anos!

  26.   Xurxo dito

    Olá Petercheco 🙂

    Gostei deste post sobre o que fazer depois de instalar o Slackware. É muito adequado para quem gosta de experimentar e testar o OS * Linux.

    Uso o Slackware desde 1994. Sempre tenho um Slack pronto para usar; agora um Slackware 14.1.

    No entanto, não o utilizo há meses porque o suporte da placa "nVidia Optimus" não era tão maduro como eu exigiria para um Slack.

    Preciso instalar os pacotes "bumblebbe e bbswitch" para que a placa nVidia seja desconectada; já que na maioria das vezes eu deixei de lado a Intel integrada do i7.

    Graças ao seu post me lembrei de algo que não levei em consideração na última vez que tentei instalar esses pacotes: «a incompatibilidade com 32 bits !!»

    Acabei de fazer uma pesquisa e encontrei este HOWTO que explica como instalar o suporte para placas nVidia Optimus com drivers nVidia; mas ... ainda é essencial converter o sistema para "multilib"; e é isso que eu não sinto!

    https://github.com/WhiteWolf1776/Bumblebee-SlackBuilds

    Se eu tiver um Slackware Linux 64 bit puro; é porque eu quero que seja assim. Adicionar uma camada de compatibilidade para 32 bits não parece certo para mim.

    http://alien.slackbook.org/dokuwiki/doku.php?id=slackware:multilib

    Eu sei que o problema subjacente é que a nVidia não oferece suporte adequado para suas placas gráficas em ambientes GNU / Linux.

    Terei que esperar algum tipo de suporte, mesmo externo, que permita a instalação deste software sem fazer um sistema "multilib".

    Obrigado por me lembrar 🙂 Faz meses que não começo o Slack porque com Linux Mint 17 o suporte para nVidia Optimos já funciona (com os drivers Noveau) desde a instalação e é tão confortável que acaba esquecendo de onde vem:

    Melhores cumprimentos.

  27.   Jessie dito

    Muito boa página!
    Mais e mais usuários estão maravilhados com o Slackware !!! 🙂
    Suas imagens ficariam melhores com um gerenciador de janelas como o Enlightenment 16 😀

    1.    Petercheco dito

      Muito obrigado amigo ... Fiquei um tempo pulando de uma distro para outra, mas voltei para o Slackware com o KDE. Claro, desta vez Slackware Current e acho que Slackware 14.2 ou 15 veremos, parece que está prestes a caramelo: D.

  28.   WSN dito

    Excelente artigo petercheco!

    Nunca tinha usado esta distro até hoje, sempre optei por outras com um instalador gráfico e teoricamente mais amigável no que diz respeito a transição entre windows e GNU / Linux, mas estou impressionado com o desempenho do Slackware, ainda preciso configurar alguns coisas importantes como teclado e outras coisas, mas não acho que seja complicado.

    Meu único arrependimento é que demorou tanto para experimentar esta obra de arte.

    Saudações e parabéns pelo ótimo artigo, é uma grande ajuda.

    1.    Petercheco dito

      Olá amigo e muito obrigado pela boa avaliação do meu artigo :). Fico feliz em ver que é útil para os usuários :). Saudações e aproveite a distro ...

  29.   ADRIAN dito

    OLÁ AMIGOS, EU SOU NOVO NO SLACKWARE VOCÊ PODERIA ME AJUDAR A INSTALAR A LÂMPADA ... POR FAVOR, OBRIGADO

    1.    Petercheco dito
  30.   Antares_alf dito

    Muito obrigado Peter.

    Você escreveu um ótimo post para aqueles que são novos no slackware. Também me serviu muito e que uso a distro desde 2008.
    A grande vantagem do slackware é que ele não muda muito, a menos que seja necessário. Agora há uma nova versão, slackware 14.2. Estamos esperando por um novo posto de recarga?

    Muito obrigado Peter.

  31.   Vicrand dito

    Obrigado pelo post, me ajudou como você não pode imaginar.

    Eu sou novo nesta distro, eu li na LinuxQuestion que o KDE Plasma 5 pode ser instalado no Slackware 14.2.

    O que não entendo é como posso instalá-lo?
    Como faço para usar o repositório AlienBob?

    Desde já, obrigado!

  32.   Joel dito

    Vim aqui por acaso, esse tutorial me ajudou muito porque queria experimentar o Slackware.
    Até hoje eu ainda tenho instalado no meu PC desktop sem falhas, estável, uma passagem. E agora eu acabei de instalar no meu laptop para me aprofundar no mundo do Linux, especialmente (Slackware / Zenwalk)
    É verdade que no começo foi difícil, algo como quando eu fui do windows para o ubuntu / linuxmint ... hahaha.Tive que fazer muitas pesquisas sobre linux.
    Já experimentei várias distros, mas essa pra mim é a que se adapta ao meu aprendizado com linux. Ainda tenho outro da velha escola que é o Freebsd.

  33.   Marlon dito

    Alguém sabe como fazer uma distribuição personalizada do Slackware? Eu sondo liveslak, mas eu não sei quais comandos eles são ..

  34.   josalz dito

    Após 12 anos de tentativa e erro com várias distribuições, linux, bsd, windows, osx, encontrei o sistema que funciona para mim, estou sempre desarmando máquinas clientes instalando sistemas, otimizando, testando, precisava de algo estável, estou procurando o segundo dia de slackware e aprendizado, tudo começou com wifislax que eu vi muito rapidamente quando olhei vejo que era baseado em slackware ... então li opiniões de usuários de todos os níveis e suas experiências ... Senti adrenalina a busca terminou.
    excelente fórum, deixo como final,
    Use a força, Luke!