Dicas: Após a formatação, tudo está em seu lugar

Este artigo é mais dedicado a novos usuários de GNU / Linux, que foi publicado por mim há algum tempo em um projeto que retomaremos em breve, denominado Projeto Cepero.

Fui usuário do Windows por mais de 8 anos e se havia algo que realmente me incomodava era ter que organizar e configurar todas as pastas e programas com os quais trabalhava diariamente a cada nova instalação do sistema operacional.

Uma das primeiras coisas que me chamou a atenção sobre GNU / Linux, foi o fato de que depois de formatar a partição raiz (que no Windows seria o disco C :), minhas pastas permaneceram no mesmo lugar e junto com elas, tudo o mais: os mesmos ícones, o mesmo ponteiro, o mesmo papel de parede e até as mesmas configurações dos meus programas de uso diário como o cliente de e-mail ou o navegador. Como isso foi possível? Bem, a resposta é muito simples.

Isso ocorre porque as distribuições de GNU / Linux, Configurações do Usuário (A menos que você especifique o contrário por meio de um link simbólico ou algum outro truque) são salvos por padrão na pasta / home / usuário / que é a partição destinada a armazenar dados do usuário, algo como a contraparte do disco D:.

Essas configurações são salvas em pastas ocultas, (pastas contendo um ponto antes do nome)* e para que sejam restaurados novamente, só temos que atender a dois requisitos na formatação:

  • Não formate a partição /casa.
  • De volta para coloque o mesmo nome de usuário para que o sistema definir a mesma partição / home.

Desta forma, quando a sessão é iniciada e fazemos login com nosso usuário regular, tudo permanece em seu lugar.

Importante: Se você selecionou a opção de solicitar uma senha para descriptografar sua pasta pessoal (esta opção é definida durante a instalação) deve colocar o mesma senha que você tinha anteriormente, caso contrário, você não terá permissões por conta própria / Home independentemente de o usuário ser o mesmo.

Saber um pouco mais.

En GNU / Linux podemos encontrar configurações de usuário compartilhadas ou individuais. Os individuais são aqueles que são salvos no / Home do usuário dentro das pastas ocultas conforme explicado acima, e as compartilhadas são aquelas que são salvas (como raiz) na pasta / usr / share /.

Dentro / usr / share / Existem duas pastas que podem ser interessantes para os usuários: ícones y temas. No primeiro os ícones e cursores são salvos, e no segundo os temas gtk y Metacity, da qual falaremos mais tarde.

Se criarmos essas mesmas pastas dentro do / Home do usuário e adicionar um ponto na frente (.icons, .temas) para ocultá-los, assim que o sistema iniciar, também os terá em consideração para estabelecer as nossas configurações.

Então, se quisermos ter um pacote de ícones, um pacote Gtk ou um tema para o cursor, diferente daqueles que outros usuários podem escolher, nós os colocamos dentro dessas pastas em nosso / Home.

Explicando toda essa teoria em poucas palavras:

Se colocarmos nossos ícones, temas e fontes dentro das pastas .icons, .temas o .fontes nosso / Home, só teremos acesso a eles, se os colocarmos dentro das mesmas pastas, mas em / Usr / share, todos os usuários do sistema terão acesso a eles.

Importante: É sempre recomendável, especialmente se o fizermos manualmente, copiar os ícones e temas de nosso / Home, já que normalmente a pasta / Usr / share Ele é apagado quando formatamos nosso sistema.

Normalmente, ambientes de desktop como Gnome o KDE Eles fazem esse trabalho para nós, copiando cada coisa em sua pasta correspondente usando um aplicativo dedicado à personalização do desktop, mas isso é bom saber para outros ambientes de trabalho, como Xfce, ou se usarmos um gerenciador de janelas como Caixa aberta o Fluxbox.

Agora, sempre que reinstalarmos, teremos tudo no lugar ...

*Para mostrar pastas ocultas em Gnome, vamos para o explorador de arquivos e usamos a combinação de teclas Ctrl + h. Ou podemos ir para o menu Ver »Mostrar / Ocultar Arquivos ocultos. Em caso de KDE com Golfinho, é feito usando a combinação de teclas Alt +. (ponto).

O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

14 comentários, deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   coragem dito

    Tornar a casa independente é a melhor forma de evitar configurar tudo de novo, é ruim que eu guarde

    1.    elav <° Linux dito

      É exatamente disso que se trata. Separe o / home do /

    2.    Eduardo2 dito

      Daí a importância de, ao instalar, pelo menos separar / home de /
      Há quem coloque / boot / usr e outros mas estou satisfeito com / home, / e swap.

      Muitas pessoas têm o péssimo hábito de não fazer formatação customizada e colocar tudo junto em uma partição estendida que cobre todo o disco (má prática de distros para seres humanos)

      1.    Joaquin dito

        A verdade é que também é muito importante economizar trabalho em caso de reinstalação. Claro, para deixar o sistema como novo, alguns arquivos de configuração terão que ser excluídos.

        Que pena, como dizem abaixo, algumas distros fazem apenas uma partição. Eles devem por padrão separar / home e deixar a raiz com um mínimo com uma opção de expansão, dependendo do número de aplicativos que serão instalados posteriormente, que não deve ser muitos. Distrons estão prontos e funcionais desde a instalação.

  2.   Treze dito

    Geralmente há erros ocasionais de permissão com / home ao alterar a distro, mas é fácil de corrigir (com "chown" e "chmod), mas o importante, como você destacou, é que todos os seus dados permaneçam intactos.

  3.   Tuxor dito

    Boa dica! agora eu sei qual é o propósito de dividir o disco com / home e que muitas distros por padrão não fazem isso. O difícil deve ser calcular quanto de cada um para não ficar aquém.

    1.    KZKG ^ Gaara <° Linux dito

      Olá e bem vindo ao nosso site 🙂
      Calcular não é problema, supondo que você tenha 1 GB de RAM ou mais, eu diria:

      / - »10 GBs
      SWAP ou área de troca - »512 MB
      / Home - »O resto ... tudo que você quiser

      Saudações e qualquer dúvida que você tenha, diga-nos 😉
      Bem vindo 😀

    2.    elav <° Linux dito

      Não é muito difícil. Você pode dar à partição root [/] (para ser confortável) um espaço entre 8 e 15 Gb. Para trocar o dobro de sua memória RAM, desde que não exceda 1 Gb, e o resto para a partição home [/ home].

  4.   kik1n dito

    MMM ...
    Quando instalei o Arch coloquei 20 gbs na raiz (/), troquei 500mb e coloquei em casa o que sobrou.
    Passe instalando meus pacotes, Blender, LibreO, etc etc.
    Depois de um tempo, fiquei sem espaço de raiz.

    Nesse caso, o que devo fazer? tente pacman -Scc

    1.    elav <° Linux dito

      Bem, você teria que verificar não apenas o cache do Pacman, mas outros diretórios, como logs e semelhantes. Com 20 Gb, é muito raro que a raiz seja preenchida dessa forma.

  5.   oscar dito

    Muito obrigado, essas coisas bem explicadas são melhores para os analfabetos que gostam ou não diferenciam a casa de uma perna de presunto serrano 😀

    Saudações e muito obrigado.

  6.   Heber dito

    Excelente postagem.
    Até agora tudo bárbaro ... separando o / home do / salvamos nossas configurações e arquivos pessoais. Agora minha pergunta é: há uma maneira de salvar os aplicativos instalados?
    Obrigado por tanta magia !!

  7.   gitano dito

    Sempre tive uma dúvida e até agora me ocorre encontrar uma resposta, graças a este artigo.

    Eu sei e entendo como é útil ter as pastas .icons e .themes em nossa HOME, mas o que acontece em casos como os ícones Faenza que são instalados através de um ppa? os ícones e temas do ppa estão sempre instalados em / usr / share.

    Existe uma maneira de alterar onde Faenza, Numix, NitruxOS, etc. serão instalados. quando eles são instalados via ppa?

  8.   mrgm148 dito

    que bom tuto