Firmware, o pesadelo continua

 

Alguns meses atrás, antes de escrever aqui, estive como redator no blog de Frannoe. Um dos primeiros artigos que fiz foi chamado "Firmware, o pesadelo de um estreante". Agora é a hora de escrever o segundo capítulo.

Recentemente li a notícia dos planos Stefano zacchiroli (Líder do projeto Debian) então isso finalmente distribuição universal entre a lista de distribuições recomendadas pela Free Software Foundation (junto com distribuições que marcam o norte como Trisquel, Blax, gNewSense, Venenux, Musix e Dynebolic). Na verdade, uma lista de discussão foi aberta onde você pode começar a falar sobre qualquer ideia relacionada. Desnecessário dizer que o atrito já começou: que os FSFistas querem acabar com os repositórios não-livres, que os Debianites dizem que isso viola o contrato do Debian, etc.

Não pretendo ir contra quem considera que o Debian merece ser incluído na lista de distribuições recomendadas pela FSF (mesmo que usando apenas o repositório principal), mas quero enfatizar algo. Com o que a FSF está preocupada Debian não é apenas a manutenção dos repositórios contrib e non-free, mas também a facilidade com que eles podem ser acessados (Tão fácil quanto fazer sudo nano /etc/apt/sources.list e adicionar contrib e non free no final de cada linha.) ESA é a razão pela qual eles não incluem o Debian. Com o Squeeze e seu kernel gratuito, eles chegaram um pouco mais perto, mas não tão perto quanto a FSF gostaria.

O mais crítico de tudo isso será quando se trata de lidar com firmware não-livre, aquela coisa irritante que atrapalha o computador "100% livre" (grátis de acordo com RMS). Que por não ser livre, obriga você a decidir entre ser escravo de uma necessidade como conectar-se à Internet via wireless ou ter aceleração gráfica OU MESMO COMECE O LINUX, ou ser privado dessas necessidades ………… mas ser livre. Stallman não precisa de aceleração gráfica porque só usa desktops para executar aplicativos gráficos (veja um pdf ou uma imagem) mas na maioria das vezes ele usa o console. Também não precisa de uma conexão Wi-Fi, pois na maioria das vezes não tem acesso à Internet e apenas se conecta para ler e enviar e-mails. (e do Emacs)Portanto, com um cabo Ethernet você pode dispensar. E com a BIOS, o Lemote que ele havia deixado com a consciência limpa. Sem dúvida, remover necessidades fará com que você suba mais rápido no Pirâmide de Maslow.

Mas é claro que nem todos temos as mesmas necessidades. Felizmente não preciso de aceleração gráfica (Não gosto de ter efeitos na tela, além do conky), mas preciso me conectar à Internet via wireless, pois há 3 computadores em minha casa (um PC e 2 notebooks) e um roteador wi-fi conectado apenas diretamente ao PC. Além disso, na minha faculdade existem zonas Wi-Fi para poder ligar em "casos de emergência". Mas, mais do que tudo, a experiência vergonhosa que tive com a banda larga móvel me fez sentir a necessidade de que minha conexão com a internet fosse ótima e não cortasse a cada poucos minutos. E quanto ao BIOS, a única coisa que considero necessária é que ela possa carregar o sistema operacional de minha escolha.

Isso me leva a fazer uma pergunta que muitos de nós ignoramos: por que razões as empresas de hardware fazem drivers para GNU / Linux? mas mais importante Quanta importância os usuários de distros 100% gratuitas podem ter? usuários exigente em termos de liberdade aconselham apenas a compra de hardware que funcione com software 100% livre, independentemente do desempenho. Eles estão bastante convencidos de que se os linuxers parassem de usar cartões NVIDIA, a empresa não terá escolha a não ser liberar seus drivers. No entanto, existe o risco de que a NVIDIA (assim como a Adobe fez com o Flash) ocorre a ele  pare de fazer versões de seus drivers para GNU / Linux e ser dedicado apenas a usuários de Windows e Mac (90% ou mais). Qual cenário é mais provável, qual NVIDIA libere seus motoristas para GNU / Linux ou removê-los em face da baixa demanda? E como eu disse a você NVIDIA, eu digo a você qualquer outra empresa que fabrica drivers não livres.

Não sei o que pode sair dessa tentativa do Debian de se reconciliar com a FSF, mas existe o temor de que a aproximação entre esses dois fará com que muitos usuários deixem o Debian apenas para o problema de firmware (assumindo que eles não precisam de nenhum outro programa proprietário). Aqui no Uruguai o hardware não é barato, as opções não são tantas e os vendedores presumem que você não é certinho em termos de software. Uma má decisão na compra de hardware tornará a experiência em uma distro 100% gratuita. insuportável e que quando você pede ajuda eles te dizem foda-se. Resultado: tanto desperdício de dinheiro e um sentimento de tristeza e incapacidade tão grande ……………………… ..como se o seu computador fosse roubado.

Finalmente deixo estes links:

Lista de discussão para discussão entre FSF e Debian: http://lists.alioth.debian.org/pipermail/fsf-collab-discuss/
Um voto que arruinou as relações: http://www.debian.org/vote/2004/vote_002
O uso do Lemote de Stallman: http://richard.stallman.usesthis.com/
Site para evitar decepções: http://www.h-node.org/

PS: Estou usando o Sabayon Linux 9 desde sexta-feira e não posso deixar de ficar surpreso que minha broadcom 432b foi reconhecida NO DVD AO VIVO. Isso não aconteceu comigo com o Ubuntu. Ainda sei como instalar firmware de fontes para quando usar outra distribuição.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

44 comentários, deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   Shiba87 dito

    Há alguns dias, ouvi sobre a tentativa de "reconciliação" do Debian e também fiquei com um pouco de medo de que eles fizessem alguma loucura com os repositórios "non-free".
    Nesse sentido, acho que a política do Debian é mais do que certa para satisfazer o lado. Pra quem quer uma distribuição 100% gratuita tem aí e quem quer / precisa de software não livre pra fazer funcionar placa gráfica, placa wi-fi ou o que for, também tem aí, não te obrigam a usar software proprietário nem o excluem, é uma posição bastante "neutra", portanto, todos são livres para usar esses repositórios ou não.

    Remover os repositórios contrib e non-free apenas para obter a tag "FSF Approved" parece um erro para mim e eu confio que eles farão o que sempre fizeram com o Debian e continuarão na mesma linha. Isso ou que a FSF vai cair em si e eles vão chegar a um acordo (embora eu não tenha certeza se o inferno congelou ou as rãs começaram a dançar flamenco).

  2.   Digital_CHE dito

    Eu estava na conferência que Richard Stallman deu em minha cidade, (Viedma, Rio Negro, Argentina)
    E notei que o cara é um extremista .. E os extremos são sempre ruins .. Em um PC doméstico, software livre e proprietário podem coexistir pacificamente.

    1.    Marco dito

      exato. Eu concordo 100% com você neste assunto. Em um mundo ideal, não haveria firmware proprietário, mas no mundo real, aquele que Stallman parece se recusar a ver, não acontece. Eu pessoalmente não pretendo sacrificar o conforto que o Chakra me dá, reconhecendo tudo de imediato, apenas por uma ideia tão radical.

      1.    nano dito

        Me incomoda que as pessoas não tenham visão. Senhores, essas ideias radicais, graças à sua existência é que hoje temos tantos desenvolvimentos interessantes e abertos. Não sei se você percebeu que, por exemplo, essas ideias radicais mantêm muitas linguagens de programação abertas e livres, como o padrão HTML5. Que essas ideias radicais são a base de tudo, de TODOS os softwares livres e que, embora possam ser bastante complexas e inviáveis ​​para usuários normais, são a semente para trabalhar em ideias melhores.

        Mais respeito nesse sentido, não rotule o stallman e suas ideias de simples radicais ou extremistas porque há muita razão no que ele fala, mas verifique o que o stallman fala sobre educação e software livre e me diga se ele é radical e é não está certo e peso em seus argumentos.

        Não me tome como alguém zangado, só quero esclarecer que não são apenas ideias radicais, mas têm seu ponto de vista.

        1.    truko22 dito

          nano aí está o ponto +100

        2.    TDE dito

          nano+1000
          A radicalidade é o princípio sob o qual grandes coisas são feitas. Se vivêssemos dizendo "bom, adotamos isso daí e isso daqui" não iríamos a lugar nenhum. É como pensar em Gandhi se permitindo de tempos em tempos quebrar seus princípios e continuar a defender os princípios da paz. Esperançosamente, na grande comunidade GNU / Linux nos permitimos pensar sobre o grande papel que Stallman desempenhou (com acertos e erros), na busca por um mundo tecnologicamente mais livre.
          Fico muito zangado ao ver como Stallman é criticado por experiência pessoal (eu uso uma distro que não é gratuita e funciona bem para mim). O seu objetivo vai por outro lado, e se tem havido conquistas em termos de liberdade e abertura às tecnologias de informação, é precisamente pelo estabelecimento de regras claras e radicais que permitem promover e regular o uso das tecnologias livres. O objetivo de Stallman é o outro lado de onde ele é criticado.

          1.    rock and roll dito

            Bem dito, Nano.
            Bem dito, TDE.

        3.    kik1n dito

          Nano muito claro "Me incomoda que as pessoas não tenham visão."
          Eu não acho que seja extremista ou insano lol. O que Richard tem em mente é "Não há limites".

    2.    rama dito

      @Digital_CHE «... estive na conferência que Richard Stallman deu na minha cidade, (Viedma, Rio Negro, Argentina) ...» che Viedma é a capital da província, era quase a capital da nação. Se tu disseres a vila que deixou Maquinchao chelforo, os mencos Cervantes, etc. Viedma é uma cidade (não sou de Viedma). desculpe pelo oftopic.

      Sobre o assunto do art.
      o pessoal do fsf está errado nos fundamentos contra o debian.
      Negar a existência de software proprietário ou impedir seu uso. É autoritário. É ser igual ou pior do que as empresas que possuem software proprietário quando não medem esforços para impedir ou colocar morcegos na roda do uso de software livre.

      Eu diria ao Banned FSF

      O software livre tem que chegar às pessoas por motivos de convicção, não de imposição.

      O Debian é uma distribuição que realmente segue o espírito do software livre, oferecendo um sistema operacional de software proprietário verdadeiramente livre. mas não impede ou restringe o usuário de acessar software proprietário. porque essa decisão corresponde apenas ao usuário.

  3.   Santiago Caamano Hermida dito

    Sem intenção de ofender ninguém e respeitando a opinião do «Sr. Ricardo ", você é livre para instalar o que quiser em seus computadores, seja código livre ou não.
    Pessoalmente, não tenho nada contra drivers proprietários, e acredito que empresas como Broadcom, Nvidia, etc., têm todo o direito de distribuí-los assim que saem de seus narizes, por isso são deles.
    Se o Debian os dispensar, pendurando a medalha FSF, é tão fácil quanto ir para outra distro que se eles os usarem e a única coisa que os reportará além da medalha será uma perda de cota de usuários.

  4.   nano dito

    A questão é que todos veem Stallman como um extremista e, embora ele também seja, graças a ele temos muitas coisas em software livre como a GPL.

    O problema aqui é que embora você seja livre para escolher qual sistema e qual software usar, às vezes essa liberdade fica manchada porque você acaba optando por se trancar em uma gaiola por causa do seu "livre arbítrio", o que acaba sendo contraproducente. O próprio Linus Torvalds disse isso (e que ele é muito mais seco e mais realista do que o homem-estande) que o futuro do mundo é um código aberto, e ele está certo; mais e mais pessoas percebem que querem saber de que são feitas as suas coisas (software) e a cada dia as pessoas se envolvem mais com a tecnologia; Não estamos naquela era em que o software era só para engenheiros ou naquela que veio depois, era só para ser usado, agora há muito mais gente que estuda informática ou que já nasceu com esse talento e quer saber que tem tudo a ver, sem falar que também dá lucro ...

    Que a Nvidia Broadcom e blá-blá estão em seu direito? Sim. Que seu livre arbítrio é sempre bom? Bem, diga isso à Nvidia que, por não querer liberar seus drivers, perdeu um contrato inicial de 10 milhões de chips para a China, que acabou fechando negócios com a concorrência; aí está, sua liberdade de permanecer fechados tirou um grande contrato.

    Eu também não defendo que o Debian queira se autodenominar 100% software livre, antes de tudo eles deveriam pensar nos muitos usuários que eles já têm, que usam aquele firmware não-livre para reviver MACs antigos, lembre-se que é uma distro amplamente usada em servidores e que, a longo prazo, são 100% gratuitos em toda a definição do conceito, uma vez que não incluem nada proprietário por padrão e isso faz com que o usuário tenha a opção de fazê-lo ou não. Não vejo necessidade de a FSF aprovar isso.

    1.    diazepam dito

      Isso me faz pensar: e se o movimento do software livre tivesse nascido antes do movimento do software livre?

      1.    nano dito

        Talvez tenhamos tido um avanço ainda mais acentuado ou quem sabe ... é algo difícil de prever xD

  5.   Erunamo JAZZ dito

    Concordo com @Santiago, embora acredite que a luta por distros gratuitas deve continuar.
    O fato de nós, usuários finais, não nos afetar muito, não significa que será assim no futuro. Ter tudo livremente (no sentido das 4 liberdades) Não deixará de ser importante, isto é, não penso que “descansar sobre os louros” porque algo é oferecido em privado seja correcto. Aquele que tenta fazer com que tudo seja Gratuito, embora sim, uma coisa é exigir e outra é flagelar-se porque algo não é oferecido gratuitamente 😛

    1.    KZKG ^ Gaara dito

      Eu acho mais simples ... todos os extremos são ruins.
      E também, o usuário é quem DEVE ter a possibilidade de escolher.

      O Debian deve continuar a fornecer a opção de usar apenas pacotes livres, ou usar pacotes não livres também.

      É tão simples eu vejo.
      Se deixar de ser assim, será uma das minhas maiores decepções 🙁

      1.    Daniel Rojas dito

        Idem para Marcos, você entendeu bem.

        Na verdade, eu também ficaria muito desapontado se o Debian fizesse isso, tentei muitas distros e é a única em que me sinto totalmente confortável 🙁

      2.    Marco dito

        Acho que você entendeu bem o que eu queria dizer.

      3.    Jamin-Samuel dito

        Bem, se assim for, a migração em massa para os terrenos do Fedora, Sabayon, Arch, Cjakra será magistral 🙂

  6.   ergean dito

    »Aqui no Uruguai o hardware não é barato, as opções não são tantas e os vendedores presumem que você não é muito exigente quando se trata de software. Uma má decisão na compra de hardware tornará a experiência em uma distro 100% gratuita insuportável e que quando você pedir ajuda eles dirão para você se foder »

    A verdade é que é muito difícil encontrar um PC com hardware 100% livre, senão quase impossível, encontrar um PC como este custará muito tempo (e provavelmente) mais dinheiro do que um normal.

    Afinal, o que é recomendado para um usuário normal (que tem vida social, se conecta à internet por wi-fi, ou tem smartphone) é uma distro GNU / Linux com componentes fechados, se quiser uma experiência minimamente satisfatória com o seu PC. E não é por isso que você vai ficar preso, nem vai poder modificar nada, pelo contrário, tudo o que pode ser feito em qualquer distro, grátis ou não, porque todos siga a mesma filosofia e deixe você tomar as rédeas do sistema operacional, se quiser e se souber como.

    PS: Diazepan, também tenho o Sabayon 9 instalado, em sua versão KDE, e não o troco por outro 😉

    1.    diazepam dito

      1) O meu é com o Xfce

      2) No nó h eles listam os notebooks que funcionam com software 100% livre.

      http://www.h-node.org/notebooks/catalogue/en

      1.    ergean dito

        Muito obrigado pela web, suponho que deveria haver algo assim, mas até agora não tinha encontrado, será útil se um dia eu quiser comprar um PC 100% gratuito e de um marca.

        Embora eu tenha notado que os modelos totalmente compatíveis ou são muito antigos e não são mais vendidos, ou os novos modelos não são totalmente compatíveis (geralmente, a placa wi-fi não funciona, será porque a maioria é da broadcom) ou eles tem um hardware muito pobre.

  7.   truko22 dito

    Eu acredito que medir o impacto do Linux e das ferramentas GNU apenas do ponto de vista da distro para os usuários finais é extremo 😀 Eu compartilho a filosofia de 100% open source, é assim que nasceu e é assim que deve continuar a existir.
    Agora, os drivers proprietários em alguns dispositivos são uma questão complexa, mas mais cedo ou mais tarde eles terão que ceder, o Linux / Gnu está presente em muitos dispositivos todos os dias.
    Agora, sobre software fechado, é outro tópico muito delicado 😀

  8.   Tavo dito

    Algo positivo e que respeito muito no Sr. Stallman vive da mesma forma que professa, o que lhe dá o direito moral de incentivar o uso de sistemas totalmente livres.
    Algo que não compartilho de forma alguma é que a capacidade de escolha das pessoas é limitada, não quero que o software proprietário desapareça, quero que o software livre se espalhe e predomine sobre o proprietário pela sua qualidade e eficiência sem limitar ninguém.
    Em muitos dos comentários, a frase "todos os extremos são ruins" é lembrada, se olharmos um pouco a história da humanidade, veremos como ela faz ainda mais sentido.

    1.    oberost dito

      @ Tavo "Sr. Stallman vive da maneira que professa"

      Em primeiro lugar, esclareço que para mim é necessário um Stallman, mas por exemplo algumas notas

      - Ele não usa celular, mas quando precisa pede para quem está por perto poder ligar
      - Ele recebe subsídios do estado, curiosamente o mesmo estado do qual ele continuamente se despreza que ele quer nos monitorar e controlar (algo que eu parcialmente compartilho com ele)

      E o que é mais importante para mim, a falta de perspectiva.
      O que ele e alguns usuários puristas do GNU / linux querem é que você seja livre para usar APENAS software livre, mas infelizmente o software livre tem muitas deficiências e requer um conhecimento bastante alto de ciência da computação, mas eles vêem isso bem.

      Eu fico entediado de ler usuários linux criticando outros usuários linux porque eles só querem usar um sistema e não aprender nada sobre como ele funciona por dentro e blá blá blá.

      Seguindo esse argumento absurdo me pergunto, por exemplo: esses mesmos Talibãs sabem o suficiente de mecânica de automóveis para consertar eles mesmos, porque imagine que você leva ao mecânico e ele coloca um parafuso patenteado pela empresa X e é um patenteado non free parafuso.
      Agora extrapole a mecânica para tudo que você usa / consome na vida e você verá o absurdo do argumento.

      1.    Tavo dito

        @Oberost Eu não sabia o que você mencionou sobre Stallman, concordo totalmente com seu comentário de qualquer maneira.
        Não há dúvida de que Stallman é necessário e ninguém nega tudo o que ele fez e continua fazendo pelo software livre, mas considero a tolerância uma grande virtude, que Stallman, muitos desenvolvedores e usuários GNU / Linux não têm

  9.   adequado dito

    Se o Debian ouvir a FSF baixando seus repositórios não-livres, estará dando um grande passo para trás ao invés de seguir em frente. Acho que falta uma liberdade que também é essencial: “A liberdade de instalar o que quiser”.

    Colocando de outra forma, se alguém lhe disser: Não instale isso porque isso priva sua liberdade. Não é alguém que me priva da liberdade de escolha?

    Enfim Debian: você está bem assim, acho que dá mais liberdade pelo simples fato de que se você quiser um sistema livre aí está, mas se você precisar usar ferramentas proprietárias, elas também estão disponíveis.

  10.   pavloco dito

    Muitas coisas boas podem ser aprendidas com Stallman, mas você deve aprender a escolhê-las.

    1.    lunar dito

      Olha, de acordo com minha experiência (e como eu não sou uma exceção, suponho que de muitos outros caras e pessoas também) é muito positivo que eles definitivamente devam deixar de lado os repositórios não-livres. Eu especulo (me parece) que manter o não-livre consome recursos e trabalho de pessoas que podem dedicar seus conhecimentos para melhorar a parte gratuita da distro. Eu também suponho que as empresas que ajudam o debian para seus próprios propósitos e mantêm seus softwares em repositórios não-livres ajudam indiretamente o software livre. Aqui deve estar a verdadeira bagunça. Dinheiro e infraestrutura.

      Quando entrei no debian, talvez por respeito ao conhecimento de outros caras e "blogueiros"; e devido à sua própria ignorância, ele escolheu carregar contrib e non-free no source.list.
      Foi depois de algum tempo e devido a uma convicção interna completa de que não me importava de experimentar o sistema sem os não-livres. Eu me preocupava mais com a idealogia do software livre do que com arruinar uma instalação no meu pc. Então percebi que meu pc funcionava melhor sem aqueles repositórios (o que deveria enfatizar o uso deles quase assustador em sua instalação com uma pergunta). Bem, então mais conhecimento e leitura se seguiram, mas foi assim que aconteceu há cerca de três anos. Acho curioso que muitos usuários aqui pensem que isso não é bom e é um revés ... Nunca pode ser um revés se libertar do peso do proprietário. Nunca é um revés apenas olhar para a liberdade, mesmo que custe. Esperançosamente, eles não são tão mornos em suas idéias como estão escritas aqui; Porque aí está a mediocridade que impede mudar o mundo! Espero que em breve eu possa fazer um pouco mais do que escrever para ajudar esta querida distro que me parece um exemplo de comunidade e humanismo. Saudações pessoas. do sul; alunado.

  11.   Lex.RC1 dito

    Uma realidade simples, "Você tem que comer", é que enquanto eles não oferecem alternativas operacionais ao software proprietário não podem ser eliminados, eu que vivo em computadores, não faço nada com um que não possa usar.

    Somos livres e especiais? Acho que foi neste blog que comentei há muito tempo ... Sinto-me muito mais livre com o Windows que instalo em qualquer computador, que instalo qualquer programa legal ou anarquicamente, isso me dá todas as ferramentas para trabalhar confortavelmente .

    As posturas extremistas fanáticas de Stallman são prejudiciais para apenas uma pessoa, o usuário final. E a leveza despreocupada da palavra de Torvalds (foda-se Nvidia .i.) Pode ter como conseqüências no final que só se consegue aquela metade… Sim, o mesmo usuário final. Essa liberdade de expressão é permitida porque eles não têm nada a perder e ninguém é responsável por eles.

    O que mais me surpreende é a facilidade com que os usuários GNU / Linux admitem essas palavras e as toleram, porque Stallman e Torvalds são programadores visionários, mas a verdadeira liberdade vai além, tem a ver com o social, a filosofia, a psicologia, a antropologia, a aula luta ... Porque vivemos numa sociedade que nos controla desde o momento em que nascemos e usar wi-fi não faz diferença.

    Do ponto de vista social ... Quando um viciado em drogas entra em um centro de reabilitação, o tratamento começa com a administração de doses controladas da droga e, com o tempo, são substituídas por "suplementos" até que ele não seja mais dependente. Mais palavras são desnecessárias.

    1.    v3on dito

      "Eu que vivo de computadores, não faço nada com um que não posso usar."
      você ganhou um beijo: *

      Concordo totalmente, somos todos diferentes, todos temos necessidades diferentes, os requisitos de Stallman não vão além do console, use-o como exemplo de que "se ele pode usar software 100% livre todos nós podemos", está totalmente errado, justamente porque somos todos diferentes

      Outra coisa que li acima sobre @nano, o livre arbítrio é tudo menos uma gaiola, exceto as relações interpessoais, elas são daqueles círculos viciosos que até agradam xD

    2.    lunar dito

      Gosto da sua opinião prática, que quase todos nós partilhamos ... mas na minha prática também aconteceu que o Linux me deu "um conhecimento de computação" que o Windows não deu (e mesmo sem ser capaz de compreender um código-fonte). E o conhecimento é o que nos torna livres, nos permite escolher. Por esse motivo e questões que já caem sozinhas na maturidade acho que não podemos instalar o windows. Antes de fazê-lo (legal ou anaraquicamente), não posso parar de procurar uma solução gratuita na web ou neste próprio site. Não podemos mais recuar, e nada disso tem a ver com nos sentirmos "livres ou especiais" (essas são questões de egos geeks ou geralmente reprimidos). É fazer a coisa certa para não continuar cagando o mundo com estupidez privada e licenças parasitas que só servem aos que têm mais poder. A mudança está em cada um de nós magro. É a porra de um grão de areia, e é individual; mas também te deixa mais feliz.

      1.    Lex.RC1 dito

        É fazer a coisa certa e é disso que se trata, é ter liberdade de conhecimento, de mudança, de decisão e de escolha ... Isso se torna mais importante quando está ligado a problemas como analfabetismo, desnutrição, cultura, ciência, etc. O software livre pode realmente fazer um mundo melhor.

        “Você não pode voltar atrás” porque é evolução e se você aprendeu mais sobre computadores, existem outras pessoas que por causa de seu trabalho ou trabalho não têm tempo suficiente para aprender código, mas aprendem algo muito importante, filosofia.

        Compreendo perfeitamente a posição de Stallman ao não torcer o braço, o fardo que este homem tem é de extrema importância para o futuro livre, mas a forma é o que não me convence porque sua filosofia pode ser confundida com idealismo fanático.

        Eu aprendi há muito tempo, o -O quê? - é mais importante do que o -Como? - dito de outra forma ... Amanhã, nós acordamos e vemos a notícia de que todas as distros, sem exceção, mudaram para software livre e o fazem não suporta software livre. private. O que aconteceria com GNU / Linux?

  12.   g2-cea11aea8bd496bbb2ed7d6acd478e62 dito

    OUYA acaba de mostrar o caminho, se alguém fez um telefone ou tablet OUYA, ou um projeto de um computador ARM com firmware e drivers PÚBLICOS assim como outros GRATUITOS que não são iguais, mas é que no ARM a maioria deles não são nem públicos para que você não possa instalar um Linaro ou um Replicante.

    Tive uma ideia que estou compartilhando, um telefone ou tablet com 4 USBs internos para colocar mini pen drives USB, e ser capaz de inicializar a partir deles com distros GNU / Linux, android, tizen, meego ou FF OS a gosto, além de poder ser barato e expandir sua capacidade.

    PS: SABAYON para mim é a melhor distro no momento, mas tem menos problemas do que ARCH, seu kernel de 1000 Hz você vai gostar muito, seus desenvolvedores são sábios, realmente, e quase sempre se falta algo que está em um PPA vai Você pergunta, na hora é e que - não sei porque - muitos pacotes não coincidem no nome com os do debian quando você começa a compilar «coisas estranhas» você tem «pouco trabalho» com as dependências . Seu XFCE voa.

  13.   Aaron Mendo dito

    Parece-me uma excelente ideia já que haveria uma distro muito mais famosa na lista da FSF e na página gnu.org isso implica um crescimento no desenvolvimento de software livre, e em termos de Hardware Você já experimentou os computadores Dell?

    Saudações.

  14.   kondur05 dito

    Hmm, eu me pergunto quem está perseguindo o stallman? Deve ser esse o problema de ser mulherengo (brincadeira).

    Quanto ao artigo, acho que os pensamentos do stallman estão corretos, o que é extremo é a maneira como alguns (fsf) querem colocá-los em prática, e a razão é que você não pode fazer uma mudança dessa forma de uma só vez se você não tiver o poder fazer, olha um exemplo, escrevo de um computador vit, em casa tem dois mais um do meu irmão, outro da minha esposa e esse que eu compro para usar e trabalhar, eles têm com win (meu irmão para seus jogos e minha esposa porque ela não teve paciência para linux: b), e eu tenho com win 7 e ubuntu (logo para mudar rsrsrs), e eu gosto e se eu tivesse todas as suas partes totalmente gratuito, eu ainda gostaria e minha família não iria querer usá-lo. Mas o que acontece todas as suas partes são intel e a bios é privada. Então, como podemos ser cem por cento livres se não podemos comprar equipamentos grátis?

    Olha, eu queria descobrir como comprar um laptop como o stallman, mas terei que ir nadar até a China, então tenho que me contentar com o que existe, puro proprietário. Enfim, é bom que todos percorramos aquele caminho que Stallman prevê e a FSF monitora que ele é percorrido, mas não podemos fazer de uma só vez, é impossível, senhores, isso é um trabalho de homigas, claro quanto mais rápido, melhor, mas fazê-lo abruptamente só levaria ao fracasso.

    e eles deveriam? Bem, eles deveriam ir com calma e continuar sendo debian e não querendo dar o pontapé inicial, mas olhe para isso no Ubuntu. (Sim, eu sei que é de uma festa privada, mas todo mundo sabe como suas boas notícias terminam, quero dizer, para os chutes), você quer ser 100% livre? Pois bem que o são, mas aos poucos e no processo dão alternativas a nós usuários que no final somos nós que parimos com nossas equipes e em muitos casos não sabemos programar (mesmo quando os do Linux nos salvam muitas vezes :)).

    obrigado

  15.   nonanone dito

    Ler dá a sensação de que para ter aceleração é preciso ter drivers proprietários, porque não é assim

    Eu uso o driver grátis nouveau e tenho aceleração, posso jogar nexuiz sem problemas, tenho meu debian 100% grátis

    E aquela lista do FSF, porque é apenas uma lista, prefiro chamá-la de politicagem, o que mais seria do que não estar lá, se você quiser usar debian grátis, use e se não, então não

    Isso influencia a nós, Debianistas, estarmos ou não em uma lista?

    que maneira de perder tempo

    1.    chefe94 dito

      XD verdadeiro

  16.   Lex.RC1 dito

    v3on você é muito gentil, mas ... eu não quero isso

    lol

  17.   Alf dito

    Bem, em uma ocasião por falta de wi-fi não consegui um contrato, um contrato muito bom, na minha experiência pessoal, o pessoal da FSF é extremista, se eu tivesse uma distribuição com os drivers certos para o meu wi- Fi para trabalhar ... não é bom chorar mais.

    A coisa tem que ser passo a passo, é natural, primeiro você rasteja, depois anda e depois corre.

    lembranças

  18.   chefe94 dito

    Mas porque um firmware de 64 bits não é desenvolvido, gráfico, que os drivers são carregados nele, que as tarefas de particionamento e o carregador de boot são tarefas do

  19.   Juancuyo dito

    Gostaria de perguntar se é possível colocar software proprietário em uma distribuição GNU.Estou interessado no Dyne: bolic… mas posso adicionar flash, adobe como leitor de pdf, etc?

    1.    diazepam dito

      trolololo.

      O poder pode ser feito, mas tem que ser feito manualmente ……… ..e não é recomendado se você não quiser ser crucificado.

      1.    Juancuyo dito

        Bem, eu quero deixar o windows xp e mudar para o linux, se Dyne: bolic for tão extremo, posso instalar OpenSuse ou Chakra e instalar todos os softwares que gostei no Dyne: bolic, vai demorar porque eu não conheço linux, mas será uma saída elegante sem ofender ninguém.

        1.    diazepam dito

          Assim está melhor.