Registro de instalação: Archlinux

Este tutorial foi descontinuado após Arch Linux mudará seu método de instalação em julho de 2012. Por enquanto, e até que façamos nosso próprio tutorial atualizado, recomendamos consultar veja este tutorial preparado pelo nosso amigo blog Gespades.

Depois disso KZKG ^ Gaara vai criar uma memória para mim USB inicializável com o .iso compilado mais recente pelos desenvolvedores de ArchLinux, Comecei a instalar esta distribuição no meu PC.

Processo de instalação.

O processo de instalação que descrevo abaixo foi feito posteriormente em uma máquina virtual, algo que recomendo que você faça se esta for a primeira vez que você instala ArchLinux. Qualquer errata, por favor, me avise para corrigi-la.

A primeira tela que veremos é esta:

Tela inicial

Como é lógico, selecionamos a opção mostrada na imagem: Inicialize o Arch Linux (i686). Após o início, se tudo correr bem, obtemos esta tela:

Como você bem pode ler, para iniciar o processo de instalação devemos executar o comando:

# /arch/setup

Mas primeiro, é aconselhável configurar nosso teclado, então escrevemos:

# km

Com este comando ArchLinux nos permite escolher o layout do teclado que vamos usar. No meu caso, tenho um teclado inglês, então selecionei a seguinte opção:

Mais tarde, obtemos a seguinte tela:

Onde nos pede para selecionar uma fonte para o console. Deixo por padrão .. E agora se colocarmos o comando para iniciar a instalação:

# /arch/setup

Quando damos Entrar este menu legal vai sair (o que nos convida a nos desgraçar hahahaha)..

Nem é preciso dizer que o menu segue uma ordem lógica, por isso não é aconselhável pular nenhuma etapa, embora me pareça que o próprio instalador não permite. Esta primeira opção nos permitirá escolher de onde vamos instalar os pacotes iniciais e ao fornecer Entrar esta tela não aparece.

Deixamos como padrão na primeira opção, para que instale os pacotes necessários do CD-ROM, ou neste caso da memória. Assim que dermos Ok, voltamos ao menu da imagem 5. Em seguida, pulamos para a segunda etapa, onde escolhemos o editor de texto que queremos usar:

Eu não sei sobre você, mas pelo menos para mim VI é para usuários com complexo de polvo, então eu uso NANO kkkkk. Assim que dermos Ok, voltamos ao menu da imagem 5. Vamos para a terceira etapa, onde configuramos o relógio do sistema:

No meu caso eu seleciono América »Havana.

Então configuramos o relógio com a opção Definir hora e data. Eu uso a opção: horário local.

E eu seleciono a opção manual:

Quando terminamos com o relógio, vem a parte mais crítica da instalação: Particionamento de disco. Para ilustrar este exemplo, eu tinha anteriormente 3 partições criadas:

  • sda1 : Para a raiz [/].
  • sda2 : Para casa [/ home].
  • sda5 : Para troca [troca]
ArchLinux Por padrão, se você usar um disco vazio, ele criará 4 partições. O primeiro de tudo será em Ext2 e é atribuído a / Bota. No meu caso particular, não separo o / Bota. Para evitar essa etapa, veremos mais tarde uma imagem que descreve esse processo.

O que precisamos saber ao particionar?

Assim que entrarmos na opção de particionamento e outras, veremos esta tela:

Basicamente, temos 4 opções:

  1. Preparação automática : É um particionamento guiado. Seu uso é ótimo quando temos um disco vazio ou pouco nos preocupamos em perder os dados, mas não é o que vamos usar.
  2. Particionar disco rígido manualmente : Aqui só temos que entrar se queremos criar novas partições ou apagá-las do disco rígido, não estamos interessados ​​agora.
  3. Configure manualmente dispositivos de bloco, sistemas de arquivos e pontos de montagem : Esta é a opção que nos interessa já que nos permitirá escolher em que partições vamos montar a raiz, a casa e a troca.
  4. Reverter as últimas alterações do sistema de arquivos : Esta opção é para retornar ao estado inicial do disco. Nem acho que precisamos disso.
Bem, selecionamos a opção nº 3 e devemos obter algo assim:

No meu caso particular, com um disco rígido, seleciono a primeira opção por padrão. Escolhendo algumas das outras opções, não sei se será aconselhável, então não toque nelas a menos que você esteja em uma máquina virtual. Nós damos Entrar e obtemos a seguinte tela:

Aqui podemos ver as 3 partições de que falei anteriormente. Não olhe para o tamanho deles. Eles só precisam saber que sda1 é para root, sda2 para casa y sda5 para troca. Selecionamos o primeiro e damos Entrar. Obtemos a seguinte tela:

Atenção com esta mensagem. O que ele está nos pedindo aqui é que escolhamos se quisermos limpar, formatar ou como você deseja chamar a partição em questão. Para sda1 sem problema, mas devemos ter cuidado se quisermos manter nossos dados na partição do / Home.

Neste caso, dizemos a você que SIM <Sim> e obtemos a seguinte janela:

Nós selecionamos Ext4 com as flechas de Acima abaixo e nós damos Entrar. Então a tela onde escolhemos o que queremos montar nessa partição não aparece:

No nosso caso, selecionamos / raiz. Nós damos Entrar e vamos para a próxima tela:

Aqui podemos colocar um Etiqueta ou etiqueta para o disco. Esta etapa é opcional, então eu a deixo como está por padrão. Nós damos Entrar e vamos para a seguinte tela:

O mesmo que a etapa anterior, é deixado por padrão, a menos que saibamos como passar parâmetros específicos para mkfs.ext4.

Repetimos esta mesma etapa para sda2, lembrando sempre que não devemos dar Sim à opção imagem #16 se quisermos manter nosso / Home. No caso de sda5 a única coisa que muda com sda1 é que em vez de selecionar Ext4, escolhemos a primeira opção na imagem #17, ou troca.

Se fizermos tudo corretamente, as partições devem ser assim:

Nós selecionamos DONE, nós damos Entrar e recebemos a seguinte mensagem:

O que isso nos diz é que não criamos uma partição separada para o / Bota. Por padrão, ele nos pede para voltar a corrigir isso com a opção: em caminho duplo, mas selecionamos a opção: ignorarAssim que dermos Ok voltamos ao menu da imagem 5 e vamos para a opção 5: Selecionar Pacotes.

Esta opção, entre outras coisas, nos permite instalar o grub:

E quando terminar, vamos para a próxima opção do menu: Instalar pacotes.

Por padrão, apenas a primeira opção é selecionada. Eu marquei ambos para instalar aplicativos extras que posteriormente eu possa precisar compilar e assim por diante. Se marcarmos o segundo, aparecerá a seguinte tela:

Onde teremos que marcar (com a barra de espaço) quais pacotes queremos instalar. Ao terminar, clicamos em OK e o sistema começa a ser instalado:

Quando terminar, nós damos Entrar e nós temos isso:

Se quisermos, podemos pular esta etapa, contanto que saibamos mais tarde que temos que modificar para que arco trabalhe como deveria. Quais são os arquivos que eu modifico?

  • /etc/rc.conf : Um arquivo crítico, pois os daemons que inicializam com o sistema, a rede, os módulos e outras opções são configurados nele.
  • / Etc / resolv.conf : Para definir o DNS de pesquisa para a rede.
  • /etc/pacman.conf : Onde eu apenas modifico a opção de usar proxy no Pacman.
  • /etc/pacman.d/mirrorlist : Onde os repositórios Arch são adicionados ou removidos.
  • Senha Root : Se eu recomendar que você escolha esta opção para fornecer uma senha ao Root por razões de segurança, caso contrário, ele não pedirá uma senha para este usuário.
Veremos todas essas opções na segunda parte deste artigo. Quando damos Entrar en Pronto O editor deve sair com a configuração do larva. Eu, por padrão, fecho com Ctrl + X para não modificar nada neste arquivo e teremos esta janela:
Nós damos Entrar para que seja instalado larva em / dev / sda e quando terminar podemos reiniciar o PC com o comando:

# reboot

Próxima parcela.

No próximo artigo, veremos como configurar os arquivos:

  • /etc/rc.conf.
  • / Etc / resolv.conf.
  • /etc/pacman.conf.
  • /etc/pacman.d/mirrorlist.
Veremos também como criar nosso usuário e colocá-lo nos grupos necessários, além da instalação de Xfce.

O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

20 comentários, deixe o seu

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.

  1.   rena dito

    excelente post elav é muito apreciado.
    A etapa de opções adicionais para mkfs.ext4 poderíamos adicionar algumas opções bastante interessantes, como noatime nodiratetime no arch wiki, há informações muito boas sobre isso.

    1.    elav <° Linux dito

      É verdade, mas nem todo mundo sabia o que significava hora do noat, hahaha. Então é melhor você aprender lendo 😛

  2.   rena dito
  3.   gosto dito

    Até que sou encorajado a comentar xD ... mas eles acertaram em cheio ...

    Eu sempre fui um daqueles que passam por todas as distros que são encontradas, mas o Arch é um caso à parte na minha história, eu ainda quero experimentar o gentoo e ainda tento de vez em quando a distro x, mas a que dura mais tempo no meu computador e mais Eu gostei do Arch, desktop e laptop ...

    Fiquei um pouco distraído: P, mas de qualquer maneira queria te contar 2 coisas:
    1) Pessoalmente, prefiro pular o grub e, no final da instalação, antes de reiniciar, é claro, fazer um pacman -S grub2 && update-grub 😉

    Eu prefiro assim para evitar problemas ao atualizar o grub para fazer coisas como instalar burg.

    2) Uma recomendação ... na minha humilde opinião e considerando que também migrei do debian ... tome cuidado para não ficar muito animado com tanta novidade no pacote (claro que quando eu fiz isso estava lá na época de kde4.algo), o pacman é Viciante, especialmente se você adicionar AUR a ele, e você pode acabar com uma distribuição "inflacionada" de pacotes que você nunca pode usar após a primeira experiência.

    hehehehe acho que estendi mais do que o necessário mas bom para o resto muito obrigado pelo post e parabéns: D.

    1.    elav <° Linux dito

      Bem-vindo Guso:
      Muito obrigado pela dica do Grub, se KZKG ^ Gaara soubesse disso antes, o sistema não teria carregado uma vez hahaha. Infelizmente para nós, não podemos desfrutar de toda a experiência, porque não temos acesso total à Internet e, portanto, não podemos usar o AUR.

      lembranças

  4.   Miguelinux dito

    Excelente artigo, estava pensando em instalar o Arch (seus repositórios me fascinam) e quando eu publicar o próximo artigo vou dar o salto 🙂

  5.   Holmes dito

    Realmente é um excelente post, ainda não experimentei o arch, mas tentarei mais tarde.
    Felicidades….
    vlwfwi, Holmes

    1.    elav <° Linux dito

      Obrigada holmes

  6.   fredy dito

    Muito obrigado guia bom, se eu puder instalar vou te contar como foi.
    saudações.

  7.   coragem dito

    A última iso não sei porque algo que fiz de errado me deu problemas com o pacman e a internet.

    Vou guardar a postagem para aquele problema específico que com o álbum que tenho do ano passado não acontece comigo

    1.    coragem dito

      Já agora, resolv.conf? Acho que esse arquivo não precisa ser tocado

      1.    elav <° Linux dito

        Coragem, lembre-se que usamos IPs estáticos e saímos por um servidor no trabalho. Portanto, temos que declarar manualmente esses dados, o servidor DNS e assim por diante.

      2.    KZKG ^ Gaara <"Linux dito

        Sim, lá você especifica o domínio de sua LAN (de linux.net por exemplo) e os servidores DNS que você deve usar.

  8.   Lucas matias dito

    Muito bom, me lembrou muito da instalação do Vector Linux, vou tentar.

  9.   Alf dito

    Segui passo a passo a instalação e não funciona para mim, o grub não instala, não há mensagem de erro, simplesmente não instala.

    2 imagens baixadas, MD5 verificado e nada, 3 tentativas com cada imagem.

    Tudo no viirtualbox.

    1.    KZKG ^ Gaara dito

      Você diz para instalar o Grub em / dev / sda e ele NÃO o instala?

  10.   Alf dito

    Não instala e não mostra uma mensagem de erro, simplesmente não instalou.

    Algum dia…

  11.   Ezcamb dito

    ei cara, está tudo muito bem explicado neste blog, mas seria interessante você publicar a outra parte, a configuração dos arquivos!… ..

  12.   Gurren–Lagan dito

    Exclua a postagem, embora seja bom se você fizer seu próprio tutorial para instalar a nova versão

  13.   Cessação dito

    Uuuu, excelente, aos favoritos para depois fazer, já faz tempo que estou querendo usar o Arch, mesmo tendo um tanto tesão quando as coisas não davam certo, ou fiquei preso em algo por muito tempo, NÃO HÁ NADA melhor do que a satisfação obtida resolvendo o problema e aprendendo com essa experiência haha, então vou instalar o Arch para pular na água e começar a usar essa distro (também tenho um complexo que gosto de minimalismo, e os desenvolvedores do Arch pensam o mesmo xD!)

    Obrigado!