O Wi-Fi 7 está cada vez mais perto e a Intel menciona que será essencial

Ainda nem a indústria nem a maioria dos provedores de internet no mundo adotaram o Wi-Fi 6 e o ​​Wi-Fi 7 já está batendo na porta para marcar as novas gerações de Wi-Fi que levarão a conectividade para o próximo nível. A próxima geração do padrão Wi-Fi é o Wi-Fi 7 e a Intel o apresenta como um must-have.

Ao desenvolver um padrão da indústria, é essencial encontrar uma solução mutuamente aceitável. Primeiro, a Wi-Fi Alliance adotou uma nova abordagem de nomenclatura. Isso fornece aos usuários termos mais fáceis de entender para a tecnologia Wi-Fi suportada pelos dispositivos e para conectá-los a uma rede Wi-Fi.

Por quase duas décadas, os usuários de Wi-Fi tiveram que lidar com convenções de nomenclatura técnicas complicadas para determinar se seus dispositivos suportavam as versões mais recentes de Wi-Fi. Agora, o sistema de nomenclatura foi simplificado, pois as gerações de Wi-Fi são numeradas de acordo com o nível de melhoria mais significativo.

Isso permite que empresas e provedores de serviços ofereçam suporte a aplicativos novos e emergentes na mesma infraestrutura de rede local sem fio (WLAN), ao mesmo tempo em que fornecem um nível de serviço mais alto do que os aplicativos mais antigos.

5G é um serviço de celular e Wi-Fi 7 é uma tecnologia de acesso sem fio de curto alcance. O novo Wi-Fi 7 compartilha as características do 5G, incluindo desempenho aprimorado.

Com o Wi-Fi 6, a Wi-Fi Alliance introduziu melhor segurança com WPA3, o que há de melhor e mais recente em segurança Wi-Fi. E uma melhoria muito maior na latência, melhoria de até 75% na latência. Wi-Fi 6 é, portanto, uma tecnologia que, por si só, traz melhorias significativas em relação às gerações anteriores.

O Wi-Fi 6 oferece escalabilidade quatro vezes maior com novas tecnologias em torno de OFDMA e melhor gerenciamento de interferência. Em particular, usamos mais capacidade para fazer mais acessos agendados e, portanto, melhor QoS.

Com o Wi-Fi 7 haverá mais capacidade e suporte até 7 gigahertz e também para as bandas mais baixas onde o usuário pode ter alguns aplicativos IoT (Internet of Things), como sensores que requerem menos largura de banda. Portanto, este é um tipo de uso completamente diferente para o novo uso do Wi-Fi.

Com a melhoria da latência, isso tornará a rede mais determinística, e quanto mais latência você tiver, mais previsível será a rede e isso é muito importante para muitas aplicações industriais.

O desenvolvimento de O Wi-Fi 7 está instalado e funcionando e pode levar mais cinco anos, portanto, pelo menos 2024 não verá nenhum produto comercial no próximo ano com Wi-Fi 7, mas é algo para se manter em mente para ver quais são as perspectivas e que tipo de melhorias devemos esperar.

Os recursos e capacidades do Wi-Fi 7 ainda estão em desenvolvimento como parte da padronização, IEEE, como parte do projeto 802.11b. Mas é importante começar a receber feedback e certificar-se de que os usuários e casos de uso estão sendo rastreados.

A outra capacidade que está sendo definida refere-se ao 320 canais megahertz, então o tamanho do canal para o padrão Wi-Fi 7 praticamente dobrou.

Em tese, pretende-se dobrar a capacidade em relação ao que podemos obter hoje com 160 canais megahertz e todas as funções que também estão sendo consideradas, e que são muito interessantes, são o que se chama operação multilink.

Portanto, o Wi-Fi 7 terá um desempenho físico teórico quase cinco vezes maior do que o Wi-Fi 6. Mas é claro que essas são coisas para as quais você tem pontos de acesso e clientes, que têm o número máximo de streams e operam nesses 320 canais megahertz, que também usa a modulação mais alta, isso é teórico.

Então, se considerarmos um cenário prático onde temos pontos de acesso e clientes, e onde os clientes geralmente assumem dois fluxos espaciais, e com modulações diferentes, 256 e 1K ou 4K, ainda obteremos taxas de bits multi-gigabit ao usar canais de 320 megahertz que deveriam estar amplamente disponível em dois fluxos espaciais.


O conteúdo do artigo segue nossos princípios de Ética editorial. Para relatar um erro, clique Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.